Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Estado-Maior da Turquia declara início de operação na cidade síria de Idlib

Dois dias após o presidente turco Recep Tayyip Erdogan ter dito que os militares turcos iriam ajudar os combatentes do Exército Livre da Síria na recém-lançada ofensiva antiterrorista, a Turquia declarou o início oficial da operação na cidade de Idlib, atualmente controlada pelos terroristas da Frente al-Nusra.


Sputnik

O Estado-Maior General declarou o início da operação na cidade síria de Idlib, acrescentando que estão sendo realizadas atividades de reconhecimento para a instalação de postos de controle do cessar-fogo.


Material bélico turco nas proximidades de Jarablus, no norte da Síria (foto de arquivo)
Tropas turcas no norte da Síria © Sputnik/ Hikmet Durgun

"Em conformidade com os acordos firmados em Astana para a criação de zonas de desescalada em Idlib, as Forças Armadas da Turquia, que é um dos países-garantes [do cessar-fogo na Síria], iniciaram em 8 de outubro uma operação de reconhecimento para estabelecer postos de controle do cessar-fogo", disse o Estado-Maior General em um comunicado.

O anúncio oficial foi feito após o presidente turco ter dito no sábado (7) que Ancara planeja deslocar seus militares para Idlib, onde os militantes do Exército Livre da Síria, apoiados pela Turquia, lançaram uma operação. No dia seguinte, Erdogan afirmou que "se não tomarmos medidas, as bombas vão cair em nossas cidades".

Atualmente, Idlib é controlada maioritariamente pelo Tahrir al-Sham, um grupo de militantes liderado pela organização terrorista Frente al-Nusra (proibida na Rússia). O grupo não faz parte do acordo para a criação de zonas de desescalada em Idlib, atingido durante as negociações de paz em Astana (Cazaquistão).

Comentando a operação em Idlib no domingo (8), o premiê turco, Binali Yildirim, disse por sua parte que as ações de Ancara são coordenadas com Moscou. O Ministério da Defesa da Rússia ainda não comentou os planos da Turquia. No entanto, na semana passada, o chanceler russo Sergei lavrov disse que a Rússia está pronta para apoiar as forças que combatem a Frente al-Nusra na zona de desescalada em Idlib.

A operação em Idlib é a segunda operação turca no território sírio. Desde agosto de 2016 até março de 2017, a Turquia, juntamente com militantes do Exército Livre da Síria, realizou a campanha Escudo do Eufrates, destinada a expulsar os terroristas do Daesh da cidade de Jarablus e da área circundante.


Postar um comentário