Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

EUA reconhecem que terroristas ligados à Frente al-Nusra usaram armas químicas

Pela primeira vez, os EUA reconhecem que os terroristas ligados à Frente al-Nusra usaram armas químicas na Síria, informa o Ministério da Defesa russo.


Sputnik

Igor Konashenkov, representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, também lembrou que em Idlib "é conhecido só um caso de uso de armas químicas – em Khan Shaykhun".


Tropas russas de Defesa Radiológica, Química e Biológica
Soldados russos de defesa radiológica, química e biológica © Sputnik/ Pavel Lisitsyn

"Contudo, os EUA acusaram as tropas governamentais sírias dos ataques químicos. E aqueles que os organizaram foram chamados de 'oposição moderada'", disse Konashenkov.

Igor Konashenkov sublinhou que a Força Aeroespacial da Rússia que atua na Síria, contrariamente aos EUA e à sua coalizão, que reduziu Raqqa a cinzas, não alveja os civis e as suas casas.

Salienta-se que "com base na declaração oficial do Departamento de Estado, agora tudo está claro: em Idlib atua um grupo terroristas ligado à Al-Qaeda chamado Frente al-Nusra que não só possui, mas usa armas químicas contra os civis".

Konashenkov adicionou que "apenas não se entende para que precisou Washingtone do ruidoso e dispendioso ataque com mísseis Tomahawk contra a base aérea síria de Shayrat. Poderiam ter queimado dezenas de milhões de dólares com mais utilidade: para efetuar golpes contra os terroristas da Frente al-Nusra".

Konashenkov continuou dizendo que "quanto às referências no texto aos alegados bombardeamentos por parte da aviação russa da cidade de Idlib, aqui o Departamento de Estado, para dizer o mínimo, engana-se e os civis norte-americanos não têm motivos para receios. A aviação russa que atua na Síria não alveja os povoados, ao contrário dos EUA e da sua coalizão".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas