Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Forças Democráticas da Síria começam fase decisiva da operação de assalto a Raqqa

As tropas curdas e árabes das Forças Democráticas da Síria (FDS) declararam o início da operação de assalto decisiva a Raqqa após a evacuação dos civis e entrega de 275 terroristas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).


Sputnik

Anteriormente, a coalizão internacional liderada pelos EUA havia informado sobre o alcance de um acordo com o conselho municipal de Raqqa para realizar a evacuação dos civis.


Combatentes das Forças Democráticas da Síria (FDS) em Raqqa (foto de arquivo)
Combatentes das FDS em Raqqa © REUTERS/ Rodi Said

"Os esforços do conselho de anciãos da província de Raqqa de evacuar da cidade os civis e de entregar 275 mercenários e suas famílias foram bem-sucedidos", informaram as FSD no seu site.

De acordo com elas, depois disso começou a batalha com o objetivo de "pôr fim à presença dos terroristas do Daesh na cidade".

Segundo a aliança apoiada pelos EUA, a coalizão controla cerca de 90 por cento de Raqqa. Damasco considerou as ações das tropas curdas e árabes como ilegais.

Hoje de manhã, a agência Reuters, com referência a Omar Allush, membro do conselho municipal de Raqqa, informou que foi permitido que os terroristas deixem a cidade na noite de 15 para 16 de outubro. Ao mesmo tempo, eles planejam levar consigo cerca de 400 civis como escudo humano.


Postar um comentário