Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Hércules C-130 libera cerca de 50 mil litros de água/dia na Chapada dos Veadeiros

No segundo dia de operação, tripulação destaca a grande quantidade de fumaça que dificulta o acesso aos pontos mais afetados


Poder Aéreo

No segundo dia de operação na Chapada dos Veadeiros (GO), quarta-feira (25/10), militares da Força Aérea Brasileira (FAB) iniciaram por volta das 7h da manhã as decolagens do C-130 Hércules para o combate aos focos de incêndio na região. Por dia, estão previstas quatro partidas para a área de preservação ambiental e cerca de 50 mil litros de água despejados para combater o fogo. Anápolis, onde está situada a Ala 2, foi escolhida como a cidade de apoio para a operação.

C-130 Hércules da FAB

O C-130 Hércules, do 1º Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), possui um sistema chamado MAFFS, do inglês Modular Airborne Fire Fighting System. O equipamento é composto por cinco tanques de água, dois tubos que se projetam pela porta traseira do avião e pode levar até 12 mil litros de água. A cada saída, são dois lançamentos, com 6 mil litros cada, que conseguem cobrir uma extensão de 500 metros.

A aproximadamente 40 milhas do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a tripulação da aeronave já consegue avistar os primeiros pontos de fogo. Uma cortina de fumaça e o alto tráfego de aeronaves na região – que estão ajudando no combate ao incêndio – além do fato de ser uma região montanhosa têm sido os desafios da missão.



Equipamento contra-incêndio do C-130 Hércules

Segundo o piloto do Hércules, Capitão Douglas Lopes, a coordenação com toda a equipe é primordial para o bom desempenho da operação. “A área é bem extensa e são muitos focos de incêndio. A fumaça atrapalha a nossa visualização durante a descida e, por isso, a coordenação tem que ser bem feita”, acrescenta.



Tripulação do C-130 Hércules da FAB operando o equipamento contra-incêndio

Ainda de acordo com o capitão, duas tripulações e uma equipe de solo – totalizando 26 militares – estão engajados na missão. Duas piscinas de 22 mil litros de água ficam cheias para que o reabastecimento da aeronave aconteça o mais rápido possível. “A gente prepara a aeronave para abastecer e decolar o mais rápido possível”, afirma o Suboficial André Luiz da Costa Reis, coordenador da equipe de solo.

Postar um comentário