Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Ministro israelense ameaça devolver Líbano à 'Idade da Pedra'

Em entrevista ao portal saudita Elaph, o ministro da Inteligência de Israel, Yisrael Katz, avisou que seu país não hesitará em atacar o Líbano para deter a atividade do grupo xiita libanês Hezbollah, e ameaçou devolver o Líbano à "Idade da Pedra", informou o jornal israelense Haaretz.
Sputnik

Além disso, Katz anunciou que Israel atacará instalações militares do Irã no Líbano: "Temos informações de que o Irã está construindo fábricas de mísseis avançados no Líbano e quero enfatizar que traçamos uma linha vermelha e que não deixaremos que o faça custe o que custar", acrescentou.


Lembrando-se da Segunda Guerra do Líbano em 2006, onde Israel lutou contra o Hezbollah, Katz destacou que os eventos de 11 anos atrás serão um "piquenique" em comparação com o que Israel pode fazer agora.

"Lembro-me de como um ministro saudita disse que devolveria o Hezbollah às suas cavernas no sul do Líbano. Devolveremos o Líbano à Idade da Pedra", declarou o ministro israel…

Hezbollah acusa EUA de proteger Daesh dos ataques da Síria

O líder do grupo Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, declarou que a aviação dos EUA protege os terroristas de Daesh (Estado Islâmico) dos ataques das tropas do governo sírio.


Sputnik

"Os EUA protegem Daesh em várias áreas e impedem o Exército sírio de acabar com os terroristas, usando a aviação", disse ele em um discurso transmitido na mídia local.


Membros da Brigada do Hezbollah no Iraque, onde o grupo libanês participa das operações para deter o avanço do Estado Islâmico
Brigada do Hezbollah © AFP 2017/ HAIDAR HAMDANI

Nasrallah disse que as tropas sírias e seus aliados devem eliminar todos os terroristas até a fronteira com o Iraque, porque, de acordo com ele, se o Daesh tiver uma pequena parte do território sírio, irá atacar de novo.

Segundo o líder do Hezbollah, os jihadistas mantêm apenas uma pequena área sob seu controle na província de Deir ez-Zor.

A coalizão internacional liderada pelos EUA atua na Síria com operações contra o Daesh desde 2014, mas não tem o consentimento oficial de Damasco.

Os EUA já enfrentaram uma série de acusações de envolvimento com o grupo jihadista. Em setembro, em particular, o Ministério da Defesa russo publicou uma foto aérea da localização de combatentes do Daesh ao norte de Deir ez-Zor, em que foi observado o equipamento de unidades das tropas especiais dos EUA.


Postar um comentário