Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Índia e Japão iniciam exercício de guerra antissubmarino

As Marinhas Indiana e Japonesa iniciaram ontem um intenso exercício de guerra antissubmarino no Oceano Índico, disse um funcionário da defesa.


Poder Naval

O exercício no mar da Arábia será concluído em 31 de outubro, disse em um tweet o porta-voz da Marinha da Índia, Capitão D.K. Sharma.

P-3C da JMSDF

Um avião de combate antissubmarino de longo alcance P-8I da Indian Navy e dois aviões P-3 Orion da Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMDSF) participarão do exercício.

As aeronaves P-3 Orion chegaram à estação naval INS Hansa em Goa no domingo para o exercício, que acontece ao mesmo tempo em que aumenta a presença de navios e submarinos chineses no Oceano Índico e Pequim assume uma postura agressiva no Mar da China Meridional.

A segurança marítima e a liberdade de navegação também ocuparam um lugar proeminente nos recentes diálogos de defesa bilaterais e multilaterais da Índia.

A Índia e o Japão, juntamente com os EUA, também se concentraram na guerra antissubmarino no exercício trilateral Malabar, em julho deste ano. A China havia dito naquela época que esperava que o exercício não visasse outros países.

A segurança marítima foi um assunto chave durante as interações entre o ministro da Defesa, Nirmala Sitharaman, e a ministra francesa da Defesa Florence Parly, bem como com o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, durante suas recentes visitas. Quando o ministro da Defesa, Arun Jaitley, foi ao Japão para um diálogo de defesa bilateral em setembro, a segurança marítima voltou a ser focada.

Postar um comentário