Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Kalashnikov vs M4A1: qual é o melhor fuzil do mundo? (VÍDEOS)

Esse experimento mostra de forma clara qual é a arma mais potente e resistente.


Sputnik

Videoblogueiros de um canal do YouTube decidiram testar em condições extremas um modelo de fuzil de assalto de classe Kalashnikov e a carabina M4A1, de fabricação estadunidense.


Fuzil de assalto de classe Kalashnikov
Fuzil de assalto de classe Kalashnikov | CC BY 2.0 / Geoffrey Fairchild

Durante o experimento dispararam com ambas as armas de maneira praticamente ininterrupta, parando só para mudar os carregadores.

Para garantir a segurança e se proteger de queimaduras, usaram máscaras militares. As medidas de precaução não foram em vão, pois após disparar ininterruptamente, ambas as armas começaram a arder nas mãos do atirador.

Então qual é a arma mais vulnerável? O experimento mostra o seguinte: o fuzil Kalashnikov — no vídeo foi usado o modelo WASR 10, fabricado pela empresa romena Cugir na base de tecnologia original da Kalashnikov — precisou de 895 disparos para que a arma deixasse de funcionar, enquanto a carabina M4A1 mostrou problemas para continuar funcionando depois de 569 disparos.





Postar um comentário

Postagens mais visitadas