Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Material blindado da Turquia atravessa fronteira da Síria

Oito tanques, 50 blindados e cerca de 200 militares turcos atravessaram a fronteira da Síria e entraram na província de Idlib, informou o canal de televisão turco NTV.


Sputnik

Os militares e veículos blindados serão instalados em Idlib para controlar a zona de desescalada (ou distensão). O Estado-Maior turco informou que os militares começam a instalar postos de controle no âmbito dos acordos firmados em Astana para a criação de zona de desescalada na Síria.


Tanque turco na Síria
Tanque turco na Síria © AFP 2017/ Nazeer al-Khatib

O envio do contingente militar foi precedido por uma operação de reconhecimento que durou de 8 a 11 de outubro.

Anteriormente, o premiê turco, Binali Yildirim, declarou que a Turquia realiza essa operação no âmbito dos acordos firmados em Astana e que as ações de Ancara são coordenadas com Moscou. Segundo ele, os militares turcos ficarão no interior da cidade de Idlib, enquanto as forças russas serão deslocadas no seu perímetro externo.

O conflito armado na Síria se arrasta desde março de 2011. As negociações para resolver a crise estão sendo realizadas em Astana e em Genebra.

A cooperação eficaz entre a Rússia, a Turquia e o Irã levou à criação de quatro zonas de desescalada na Síria. Idlib deve tornar-se a quarta zona. Até agora, apenas três zonas estão funcionando: a norte da cidade de Homs, em um subúrbio de Damasco – na área de Ghouta Oriental, e também na fronteira sírio-jordaniana, na província de Daraa.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas