Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Moscou pode sair do Ato fundador Rússia-OTAN devido às ações norte-americanas

Moscou pode sair do Ato fundador entre Rússia e OTAN de 1997, caso os EUA continuem aumentando presença na Polônia e nos países bálticos, disse à Sputnik o primeiro vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação da Rússia, Frants Klintsevich.


Sputnik

Anteriormente, o Ministério da Defesa russo comunicou que militares norte-americanos instalaram toda uma divisão na fronteira da Rússia com os países bálticos. Segundo o ministério, na Polônia desembarcou a 2ª brigada armada dos EUA com veículos blindados e, acima de tudo, nos países bálticos foi deixado todo equipamento militar da 3ª brigada norte-americana.


Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia
Tanques da OTAN na fronteira da Letônia com a Rússia © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

"Se tais ações continuarem, o Ato fundador deve ser suspenso para atrair atenção da comunidade internacional a esses processos", declarou Klintsevich.

Ele frisou que a decisão será tomada pelo presidente da Rússia, bem como pelos Ministérios das Relações Exteriores e da Defesa.

"Mas é óbvio que com os EUA, através de suas ações, estão fazendo de tudo para que Rússia saia do Ato fundador", notou Klintsevich.


Postar um comentário