Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

OTAN mantém silêncio sobre evacuação de militantes do Afeganistão em aeronave dos EUA

O enviado especial do presidente russo ao Afeganistão, Zamir Kabulov, comentou em coletiva de imprensa depois da reunião do Conselho Rússia-OTAN em Bruxelas a nova estratégia dos EUA em relação ao Afeganistão.


Sputnik

A nova estratégia dos EUA em relação ao Afeganistão mina as chances de resolução política da situação no país; trata-se de óbvios aspectos negativos, declarou o enviado especial do presidente russo ao Afeganistão, Zamir Kabulov.


Soldados norte-americanos e afegãos andam abaixo dos helicópteros da OTAN
Soldados norte-americanos e afegãos em basa de OTAN no Afeganistão © AFP 2017/ WAKIL KOHSAR

A Rússia está esperando a reação dos líderes da OTAN "aos helicópteros sem sinais de identificação que foram vistos sobre o território do Afeganistão. Não recebemos resposta alguma", disse o diplomata.

"A OTAN não apresentou evidências documentais para sustentar as acusações da Rússia do apoio ao movimento radical Talibã", adicionou Zamir Kabulov.

Na semana passada, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que a reunião de 26 de outubro seria focada nos conflitos na Ucrânia e Afeganistão, bem como nos meios de reduzir os riscos de colisões e acidentes durante exercícios militares.

Na quinta-feira (26), o Conselho Rússia-OTAN realiza a terceira reunião deste ano.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas