Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Pentágono diz que exército dos EUA deve garantir opções militares para Coreia do Norte

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, comentou a posição do Pentágono sobre a questão da Coreia do Norte nesta segunda-feira (9).


Sputnik

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, afirmou nesta segunda-feira (9) que, apesar dos EUA estarem envolvidos em esforços diplomáticos e com a política de sanções, o exército norte-americano deve ter garantias de caráter militar para lidar com a crise da Coreia do Norte. 


Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA
Pentágono, EUA © Sputnik/ David B. Gleason

"O exército dos EUA deveria estar pronto para garantir que nós tenhamos opções militares para o nosso presidente poder empregar se necessário", disse Mattis aos ser perguntado sobre a estratégia da Pentágono em relação à Coreia do Norte.

Ele enfatizou que, atualmente, Washington recorre à diplomacia, acrescentando que o Conselho de Segurança da ONU votou duas vezes seguidas de forma unânime a favor da imposição de sanções mais fortes contra Pyongyang por conta de seus lançamentos de mísseis balísticos e nucleares.

"A Coreia [do Norte] está em nossas mentes, e vocês sabem que há um motivo. O que o futuro reserva? Nem vocês nem eu posso dizer", acrescentou o secretário de Defesa.

A declaração de surge após uma série de publicações do presidente dos EUA, Donald Trump, em seu Twitter, na semana passada, sugerindo que Washington poderia estar considerando uma opção militar em relação à Coreia do Norte. Mais recentemente, o presidente dos EUA disse que "apenas uma coisa funcionará" no que diz respeito a Pyongyang, afirmando que as políticas de aplicadas à Coreia do Norte nos 25 anos não funcionaram.


Postar um comentário