Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial do Hezbollah: nossos mísseis podem atingir qualquer ponto de Israel

O Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis, disse Sheikh Naim Qassem, secretário-geral adjunto do movimento libanês Hezbollah em entrevista ao jornal iraniano al-Vefagh.
Sputnik

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.


Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

Qassem comentou também a guerra na Síria, onde o Hezbollah desempenhou um papel ativo na assistência ao governo sírio contra vários agrupamentos terroristas, incluindo o Daesh e Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia). O funcionário elogiou as vitórias alcançadas contra os terroristas, mas criticou os EUA por sua suposta obstrução ao processo de paz.

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, dest…

Pentágono diz que exército dos EUA deve garantir opções militares para Coreia do Norte

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, comentou a posição do Pentágono sobre a questão da Coreia do Norte nesta segunda-feira (9).


Sputnik

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, afirmou nesta segunda-feira (9) que, apesar dos EUA estarem envolvidos em esforços diplomáticos e com a política de sanções, o exército norte-americano deve ter garantias de caráter militar para lidar com a crise da Coreia do Norte. 


Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA
Pentágono, EUA © Sputnik/ David B. Gleason

"O exército dos EUA deveria estar pronto para garantir que nós tenhamos opções militares para o nosso presidente poder empregar se necessário", disse Mattis aos ser perguntado sobre a estratégia da Pentágono em relação à Coreia do Norte.

Ele enfatizou que, atualmente, Washington recorre à diplomacia, acrescentando que o Conselho de Segurança da ONU votou duas vezes seguidas de forma unânime a favor da imposição de sanções mais fortes contra Pyongyang por conta de seus lançamentos de mísseis balísticos e nucleares.

"A Coreia [do Norte] está em nossas mentes, e vocês sabem que há um motivo. O que o futuro reserva? Nem vocês nem eu posso dizer", acrescentou o secretário de Defesa.

A declaração de surge após uma série de publicações do presidente dos EUA, Donald Trump, em seu Twitter, na semana passada, sugerindo que Washington poderia estar considerando uma opção militar em relação à Coreia do Norte. Mais recentemente, o presidente dos EUA disse que "apenas uma coisa funcionará" no que diz respeito a Pyongyang, afirmando que as políticas de aplicadas à Coreia do Norte nos 25 anos não funcionaram.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas