Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Pentágono diz que exército dos EUA deve garantir opções militares para Coreia do Norte

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, comentou a posição do Pentágono sobre a questão da Coreia do Norte nesta segunda-feira (9).


Sputnik

O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, afirmou nesta segunda-feira (9) que, apesar dos EUA estarem envolvidos em esforços diplomáticos e com a política de sanções, o exército norte-americano deve ter garantias de caráter militar para lidar com a crise da Coreia do Norte. 


Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA
Pentágono, EUA © Sputnik/ David B. Gleason

"O exército dos EUA deveria estar pronto para garantir que nós tenhamos opções militares para o nosso presidente poder empregar se necessário", disse Mattis aos ser perguntado sobre a estratégia da Pentágono em relação à Coreia do Norte.

Ele enfatizou que, atualmente, Washington recorre à diplomacia, acrescentando que o Conselho de Segurança da ONU votou duas vezes seguidas de forma unânime a favor da imposição de sanções mais fortes contra Pyongyang por conta de seus lançamentos de mísseis balísticos e nucleares.

"A Coreia [do Norte] está em nossas mentes, e vocês sabem que há um motivo. O que o futuro reserva? Nem vocês nem eu posso dizer", acrescentou o secretário de Defesa.

A declaração de surge após uma série de publicações do presidente dos EUA, Donald Trump, em seu Twitter, na semana passada, sugerindo que Washington poderia estar considerando uma opção militar em relação à Coreia do Norte. Mais recentemente, o presidente dos EUA disse que "apenas uma coisa funcionará" no que diz respeito a Pyongyang, afirmando que as políticas de aplicadas à Coreia do Norte nos 25 anos não funcionaram.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas