Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Presidente russo: Coreia do Norte tem bomba atômica já desde 2001

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que já em 2001 o então líder da Coreia do Norte, Kim Jong-il, revelou que Pyongyang possuía bomba atômica e tinha planos sobre seu desenvolvimento no futuro.


Sputnik

"Parece que foi em 2001, quando eu estava viajando ao Japão, visitei a Coreia do Norte e me encontrei lá com o pai do atual líder [Kim Jong-un]. Naquele tempo, ele me disse que o país tinha bomba atômica. Pois é. Além disso, ele afirmou que utilizando sistemas de artilharia bastante simples o país poderia alcançar tudo", contou Putin durante o fórum Semana Russa da Energia em Moscou.


Kim Jong-un, líder norte-coreano observa treinamentos do Exército Popular da Coreia (foto de arquivo)
Kim Jong-un © REUTERS/ KCNA

"Pois, quando foi aquilo? Foi em 2001. Agora estamos em 2017, o país está vivendo sanções permanentes, ao invés de bomba atômica já tem a de hidrogênio. Em vez de sistema simples de artilharia, tem mísseis de alcance médio de até 2.700 km, ou até mais", assinalou o presidente russo.

Vladimir Putin frisou que não é possível resolver os problemas existentes quanto à Coreia do Norte via sanções. Ele ressaltou que, anteriormente, teve lugar uma tentativa de chegar a acordo com a Coreia do Norte, e o país assumiu compromissos de parar seus programas nucleares e de mísseis, mas depois a situação agravou novamente.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas