Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Pyongyang condena 'estratagema' de Washington e Seul para invadir o país

As duas Coreias nunca assinaram um acordo de paz, portanto tecnicamente permanecem em estado de guerra. Nessa situação, o que significa a cooperação militar entre Seul e Washington para a Coreia do Norte?


Sputnik

Pyongyang anunciou na segunda-feira (2) que o Tratado de Defesa Mútua dos EUA e da Coreia do Sul é "um estratagema" para "invadir" a nação comunista, informa a agência Yonhap, citando o jornal do Partido dos Trabalhadores da Coreia, Rodong Sinmun.


As manobras militares conjutas dos EUA e a Coreia do Sul
AV-8B Harrier II da US Navy e C-130 Hércules em exercício militar conjunto dos EUA e Coreia do Sul © REUTERS/ Lance Cpl. Carlos Jimenez

Em 1 de outubro foi celebrado o 64º aniversário de assinatura desse acordo, que entrou em vigor em 1953 e estabeleceu um sistema de defesa combinada entre ambos os países. O acordo pressupõe que Washington deve defender Seul das ameaças de Pyongyang. Além disso, estabeleceu a base legal para o deslocamento de forças militares estadunidenses no território da Coreia do Sul.

De acordo com Rodong Sinmun, esse pacto é uma "explícita" e "imprudente ambição" dos EUA para "em qualquer momento levar a cabo uma invasão da Coreia do Norte". Por essa razão, Pyongyang exige a sua "imediata abolição " e a "expulsão das forças invasoras estadunidenses da Coreia do Sul".

Ao mesmo tempo, o jornal destaca que as manobras militares conjuntas que Washington e Seul constantemente realizam na região, bem como o deslocamento de armamentos estratégicos norte-americanos, criará "são responsáveis por criar "uma situação realmente grave de segurança" na península coreana, que "em qualquer momento" pode desencadear uma nova guerra.

A Coreia do Norte e a Coreia do Sul estão tecnicamente em estado de guerra, depois de a guerra da Coreia de 1950-1953 ter terminado com um armistício, mas sem ser assinado qualquer tratado de paz definitivo.


Postar um comentário