Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Quantos militares perderia Ucrânia se decidisse partir para força em Donbass?

Caso o conflito em Donbass seja resolvido com força, a Ucrânia perderia em uma média de dez a doze mil pessoas em dez dias, inclusive três mil perdas mortais, afirmou o chefe do Estado-Maior da Ucrânia, Viktor Muzhenko, citado pelo jornal Ukrainskaya Pravda.


Sputnik

O militar também disse que a resolução através da força resultará também em vítimas entre civis, acrescentando que 2,3 mil militares correspondem a dez mil civis. Os dados foram recebidos durante os exercícios militares com uso de métodos especiais.


Militares ucranianos em Donbass
Militares ucranianos em Donbass © AP Photo/ Evgeniy Maloletka

Muzhenko ressaltou que as Forças Armadas da Ucrânia dispõem de armamentos suficientes para tal cenário. No entanto, ele duvida que a sociedade ucraniana esteja pronta para resolver o conflito com uso da força.

Em abril de 2014, Kiev começou sua operação militar contra as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e de Lugansk, que declararam independência após o golpe de Estado na Ucrânia em fevereiro de 2014. Segundo os últimos dados da ONU, o conflito no leste ucraniano já causou mais de dez mil mortes.


Postar um comentário