Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Quantos militares perderia Ucrânia se decidisse partir para força em Donbass?

Caso o conflito em Donbass seja resolvido com força, a Ucrânia perderia em uma média de dez a doze mil pessoas em dez dias, inclusive três mil perdas mortais, afirmou o chefe do Estado-Maior da Ucrânia, Viktor Muzhenko, citado pelo jornal Ukrainskaya Pravda.


Sputnik

O militar também disse que a resolução através da força resultará também em vítimas entre civis, acrescentando que 2,3 mil militares correspondem a dez mil civis. Os dados foram recebidos durante os exercícios militares com uso de métodos especiais.


Militares ucranianos em Donbass
Militares ucranianos em Donbass © AP Photo/ Evgeniy Maloletka

Muzhenko ressaltou que as Forças Armadas da Ucrânia dispõem de armamentos suficientes para tal cenário. No entanto, ele duvida que a sociedade ucraniana esteja pronta para resolver o conflito com uso da força.

Em abril de 2014, Kiev começou sua operação militar contra as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e de Lugansk, que declararam independência após o golpe de Estado na Ucrânia em fevereiro de 2014. Segundo os últimos dados da ONU, o conflito no leste ucraniano já causou mais de dez mil mortes.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas