Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Queda iminente de Raqqa capital dos jiadistas de Daesh

Forças sírias com apoio americano, estão na iminência de tomar Raqqa, a chamada capital dos jihadistas do estado islâmico, no leste da Síria, depois de ter caída a cidade de Al Mayadine, na província de Daïr az Zour, que estava igualmente nas mãos dos mesmos terroristas, cuja organização é ainda conhecida por Daesh.


Por João Matos | RFi

Os terroristas do chamado estado islâmico estão a ser mortos ou em debandada da sua chamada capital Raqqa, no leste da Síria, cuja queda é iminente, com a última operação das forças sírias.


media
Forças democráticas sírias em vias de tomar Rakka, capital dos jiadistas do Daesh, leste da Síria.| REUTERS/Rodi Said

Milícias curdas indicaram, este sábado, (14) que Raqqa, poderia cair hoje ou amanhã. "Os confrontos ainda continuam na cidade de Raqqa, que está a ser libertada", declarou Nouri Mahmoud, porta-voz das unidades de proteção do povo.

A coligação com apoio americanoprecisou do seu lado que uma centena de combatentes do estado islâmico se renderam nas últimas 24 horas e que evacuaram a cidade, indicou um porta-voz.

Contudo, apesar das baixas nas fileiras dos jiadistas, em fuga, há ainda alguns resistentes dispostos a serem mártires, pelo que "os últimos combates serão muito difíceis", sublinhou o porta-voz da coligação.

Várias dezenas de autocarros chegaram ontem à noite a Raqqa, numa iniciativa que parecia confirmar a evacuação deste bastião do grupo terrorista estado islâmico.

Aliás, o próprio estado islâmico, reconheceu esta sua derrota, numa página Facebook, indicando que "Raqqa está a ser massacrada em silêncio".

Por outro lado, desde o início do conflito sírio, o envio de autocarros é um sinal de que é iminente uma evacuação de populações.

O Observatório sírio dos direitos humanos, confirmou que os autocarros são destinados à evacuação de jiadistas e suas famílias.

As Forças democráticas sírias, uma aliança de milícias curdas e árabes, tinham iniciado recentemente a última fase da ofensiva que levam a cabo contra os jihadistas que se tinham refugiado em Raqqa, depois da sua derrota, no Iraque.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas