Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Relatório secreto: OTAN não conseguirá conter ofensiva da Rússia

Um relatório secreto da OTAN lista todos os pontos fracos da aliança militar ocidental, informa o Der Spiegel.


Sputnik

Segundo aponta o jornal alemão, os autores do relatório chegaram a uma conclusão pouco auspiciosa: após a Guerra Fria "a capacidade da OTAN de efetuar o reforço logístico reduziu-se drasticamente frente ao alargamento do território sob o seu controle", o que faz com que a aliança militar não consiga repelir um eventual ataque ofensivo da Rússia, informa o RT.


Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia
Blindados da OTAN na Letônia © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

De acordo com o relatório secreto NATO SECRET, a Aliança Atlântica não possui bastantes pontes, equipamento especial e transporte ferroviário para transportar o material bélico pesado, informa o Der Spiegel.

"Para que servem os sistemas de combate dispendiosos se não há possibilidades de transportá-los para os lugares necessários?", se questiona a edição.

De acordo com os autores do relatório, a OTAN não pode conter uma agressão com as suas forças de reação rápida. Eles acrescentam que não há garantias de que estas forças possam reagir rapidamente.

O relatório afirma que a OTAN "não conseguiria conter uma ofensiva russa porque não pode deslocar as suas tropas para as posições a tempo, porque há poucos oficiais nos estados-maiores e porque abastecimento do outro lado do Atlântico não funciona".

Todos estes problemas permanecem apesar de a aliança militar "exceder consideravelmente" o exército russo em questões de potência militar e econômica, conclui o Der Spiegel.


Postar um comentário