Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

Royal Navy expulsa nove militares por uso de drogas

Nove militares na Marinha Real da Grã-Bretanha foram demitidos por usarem drogas enquanto serviam a bordo de submarino nuclear, disse o Ministério da Defesa do país no sábado.


Poder Naval

A substância que utilizavam era cocaína, informou o Daily Mail.

HMS Vigilant

Os membros da RN foram expulsos depois que foram pegos em testes de drogas obrigatórios no HMS Vigilant — um dos quatro submarinos britânicos equipados com mísseis nucleares Trident.

“Nós não toleramos o uso indevido de drogas pelo pessoal do serviço. Aqueles que ficaram aquém dos nossos altos padrões estão sendo dispensados ​​do serviço”, disse um porta-voz da Royal Navy.

Os marinheiros falharam nos testes de drogas enquanto o navio estava atracado nos Estados Unidos para receber ogivas nucleares e realizar trabalho relacionado.

Eles alegadamente mantiveram festas regadas a drogas em hotéis onde estavam hospedados.

Um porta-voz do Ministério da Defesa disse que não havia evidências que sugerissem que os membros do serviço estavam “sob a influência durante o desempenho de suas funções”.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas