Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Turquia fecha espaço aéreo para voos do Curdistão iraquiano

O Conselho de Segurança Nacional da Turquia recomendou fechar o espaço aéreo do país para voos do Curdistão iraquiano, em função dos constantes confrontos entre as forças federais iraquianas e os combatentes Peshmerga curdos em Kirkuk.


Sputnik

"Consideramos necessário recomendar o encerramento do espaço aéreo da Turquia para o norte do Iraque. O controle do posto fronteiriço de Ibrahim Halil deve ser entregue ao governo iraquiano", informou a assessoria de imprensa do Conselho em um comunicado nesta segunda-feira.


Militante do PKK no norte do Iraque
Soldado do PKK no norte do Iraque © AFP 2017/ AHMAD AL-RUBAYE

Em 2014, as tropas peshmerga curdas libertaram a província Kirkuk, rica em petróleo, do Daesh. Desde então, a região tem sido controlada pelas autoridades curdas e forças peshmerga. O premiê do Iraque, Haider al-Abadi, obteve autorização do parlamento para deslocar tropas para Kirkuk após o referendo pela independência curdo, realizado em 25 de setembro e que Bagdá qualificou como ilegal. Kirkuk, apesar de não fazer parte do Curdistão iraquiano, também participou da votação.

A Turquia, assim como o Irã, criticaram a tentativa de independência do Curdistão iraquiano e se opuseram ao referendo.

Ancara também suspendeu vôos para o Curdistão iraquiano e interrompeu a transmissão de seus canais de televisão na região autônoma.

Em 25 de setembro, mais de 90% dos eleitores que participaram de um referendo no Curdistão iraquiano apoiaram a independência da região em relação a Bagdá.

As autoridades iraquianas declararam o referendo ilegal, enquanto a Turquia e o Irã criticaram a votação por medo do fortalecimento dos sentimentos separatistas entre suas próprias minorias étnicas curdas.


Postar um comentário