Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

Turquia fecha espaço aéreo para voos do Curdistão iraquiano

O Conselho de Segurança Nacional da Turquia recomendou fechar o espaço aéreo do país para voos do Curdistão iraquiano, em função dos constantes confrontos entre as forças federais iraquianas e os combatentes Peshmerga curdos em Kirkuk.


Sputnik

"Consideramos necessário recomendar o encerramento do espaço aéreo da Turquia para o norte do Iraque. O controle do posto fronteiriço de Ibrahim Halil deve ser entregue ao governo iraquiano", informou a assessoria de imprensa do Conselho em um comunicado nesta segunda-feira.


Militante do PKK no norte do Iraque
Soldado do PKK no norte do Iraque © AFP 2017/ AHMAD AL-RUBAYE

Em 2014, as tropas peshmerga curdas libertaram a província Kirkuk, rica em petróleo, do Daesh. Desde então, a região tem sido controlada pelas autoridades curdas e forças peshmerga. O premiê do Iraque, Haider al-Abadi, obteve autorização do parlamento para deslocar tropas para Kirkuk após o referendo pela independência curdo, realizado em 25 de setembro e que Bagdá qualificou como ilegal. Kirkuk, apesar de não fazer parte do Curdistão iraquiano, também participou da votação.

A Turquia, assim como o Irã, criticaram a tentativa de independência do Curdistão iraquiano e se opuseram ao referendo.

Ancara também suspendeu vôos para o Curdistão iraquiano e interrompeu a transmissão de seus canais de televisão na região autônoma.

Em 25 de setembro, mais de 90% dos eleitores que participaram de um referendo no Curdistão iraquiano apoiaram a independência da região em relação a Bagdá.

As autoridades iraquianas declararam o referendo ilegal, enquanto a Turquia e o Irã criticaram a votação por medo do fortalecimento dos sentimentos separatistas entre suas próprias minorias étnicas curdas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas