Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Após submarinos, mais da metade dos tanques alemães Leopard 2 estão fora de combate

Mais de metade dos 255 tanques de batalha Leopard 2 alemães estão fora de serviço, enquanto uma parte considerável dos veículos de combate é considerada apenas condicionalmente operacional porque não tem peças sobressalentes críticas, segundo um relatório divulgado pela mídia local.


Sputnik

O Exército alemão foi bem conhecido no passado por sua capacidade de implantar formações de tanques bem treinados e mantidos contra o inimigo, mas essa crença parece estar desaparecendo. Apenas 95 dos 244 Leopard 2 da Bundeswehr estão prontos para combate, o grupo de mídia Funke descobriu em um relatório do Ministério da Defesa. O relatório foi publicado pela revista Focus.


Tanque Leopard 2 durante demonstração na Alemanha (foto de arquivo)
Tanque alemão Leopard II © AP Photo/ Michael Sohn

Cerca de 53 tanques foram desarmados, sete estão sendo usados para testes, enquanto 89 veículos estão "condicionalmente operacionais", pois não podem ser reparados sem peças sobressalentes críticas. O relatório do Ministério da Defesa destaca especialmente vários casos em que "a indisponibilidade das peças sobressalentes necessárias seria prejudicial".

Houve relatórios anteriores sugerindo que o Exército alemão está enfrentando problemas técnicos frequentes ao usar seus veículos de combate. Em abril deste ano, emergiu que os veículos blindados da Alemanha implantados no Mali, como parte de uma missão da ONU, foram retirados devido a "poeira" e "estradas rochosas".

Na época, o comandante-adjunto do contingente alemão reconheceu que as tropas estão esticadas em seus limites em termos de equipamentos. Enquanto isso, a revelação parecia ser sintomática de um problema maior que os militares alemães enfrentam.

No final de fevereiro, Andre Wreener, chefe da União das Forças Armadas Alemãs, disse ao jornal Rheinische Post que o Exército do país não tem "tudo" dos helicópteros e aeronaves prontos para o combate para óculos de visão noturna.

A mídia alemã também informou consistentemente sobre a prontidão de combate pobre e desvios técnicos das aeronaves alemãs. Mais recentemente, a Deutsche Welle disse que apenas 38 dos 89 aviões de combate Tornado da Alemanha estavam prontos para o combate e apenas 25 dos 57 aviões de transporte estavam operacionais.

A porcentagem dos helicópteros de ataque prontos para combate nas Forças Armadas alemãs varia entre 18% e 32%, dependendo do tipo de aeronave, escreveu a Deutsche Welle. Problemas semelhantes também afetam transportadores de pessoal blindados, navios marítimos e submarinos.


Comentários

Postagens mais visitadas