Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Avião com ajuda humanitária chega ao Iêmen após 3 semanas de bloqueio

Bloqueio foi imposto pela coalizão liderada pela Arábia Saudita, que intervém militarmente no país.


France Presse


Um avião carregado com ajuda humanitária do Unicef aterrissou neste sábado (25) em Sanaa, no Iêmen, pela primeira em três semanas em razão do bloqueio total imposto no início de novembro pela coalizão liderada pela Arábia Saudita que intervém militarmente no Iêmen.

Crianças iemenita desnutrida recebia tratamento em hospital de Sanaa, na quarta-feira (22) (Foto: Mohammed Huwais / AFP)
Crianças iemenita desnutrida recebia tratamento em hospital de Sanaa, na quarta-feira (22) (Foto: Mohammed Huwais / AFP)

A coalizão interveio no país em março de 2015 para impedir a progressão dos rebeldes iemenitas huthis diante das forças governamentais.

Em novembro, impôs um bloqueio total ao país depois que os rebeldes - que controlam a capital Sanaa e Hodeida - dispararam um míssil balístico em direção a Arábia Saudita em 4 de novembro. O artefato foi interceptado acima do aeroporto internacional de Riad.

Fome em massa


Em 8 de novembro, o chefe de ajuda das Nações Unidas tinha alertado que o país enfrenta uma fome em massa que poderia afetar milhões de vidas se a Arábia Saudita não colocasse fim ao bloqueio. O Iêmen enfrenta ainda epidemia de cólera.

Na quarta-feira (22), a coalizão anunciou a reabertura do porto de Hodeida e do aeroporto de Sanaa para o transporte de ajuda humanitária, em resposta aos apelos da ONU.

O Unicef anunciou que 1,9 milhão de vacinas contra a poliomielite chegaram na capital iemenita neste sábado.

Avião das Nações Unidas chega à capital do Iêmen, Sanaa, neste sábado (25), após três semansa de bloqueio imposto pela Arábia Saudita (Foto: Mohammed Huwais / AFP)
Avião das Nações Unidas chega à capital do Iêmen, Sanaa, neste sábado (25), após três semansa de bloqueio imposto pela Arábia Saudita (Foto: Mohammed Huwais / AFP)

Três outros aviões fretados pelo Programa Mundial de Alimentos (PAM) e pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) pousaram neste sábado em Sanaa, mas transportando apenas funcionários, de acordo com o jornalista da AFP no aeroporto.

Um porta-voz do PAM indicou que um navio com ajuda ainda estava aguardando autorização para entrar no porto de Hodeida.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o conflito no Iêmen deixou mais de 7.750 mortos e 50.600 feridos, incluindo muitos civis, desde a intervenção da coalizão militar árabe em março de 2015.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas