Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Capacete-azul morre em ataque contra comboio da ONU na República Centro-Africana

Com mais este ataque, os atos hostis já cobraram a vida de 13 soldados das forças de paz da ONU na República Centro-Africana desde janeiro.


ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou fortemente no domingo (26) o ataque realizado contra um comboio da Missão de Paz na República Centro-Africana (MINUSCA) no sudeste do país, segundo comunicado emitido por seu porta-voz adjunto.


Soldados marroquinos da MINUSCA em Bangui, na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina
Soldados marroquinos da MINUSCA em Bangui, na República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina

Como resultado do ataque, um capacete-azul do Egito foi morto e três ficaram feridos. O secretário-geral da ONU enviou suas profundas condolências às famílias das vítimas e ao governo egípcio, desejando rápida recuperação aos feridos.

Com mais este ataque, os atos hostis já cobraram a vida de 13 soldados das forças de paz da ONU na República Centro-Africana desde janeiro.

“O secretário-geral lembra firmemente que ataques contra as forças de paz da ONU podem constituir crimes de guerra. Ele pede que as autoridades da República Centro-Africana investiguem o ataque para levar rapidamente os responsáveis à Justiça”, disse o comunicado.

Guterres também reafirmou a determinação das Nações Unidas para avançar rumo à implementação do mandato da MINUSCA, recentemente renovado pelo Conselho de Segurança, particularmente para proteger civis e ajudar a avançar no processo político no país.

O chefe da ONU disse ainda que o mais novo ataque ocorreu enquanto membros da iniciativa de paz e reconciliação da União Africana iniciam suas funções para apoiar o diálogo e ajudar a pôr fim ao conflito no país.


Postar um comentário