Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Coreia do Norte: podemos produzir os lança-mísseis que quisermos

A Coreia do Norte produziu o lançador do míssil Hwasong-15, disparado em 29 de novembro, de forma independente. Para além disso, no desenvolvimento do míssil foram usados somente os recursos e tecnologias do país, sem qualquer ajuda externa, informa a agência de notícias norte-coreana.


Sputnik

"O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, expressou a sua satisfação pelo fato de os lança-mísseis poderem ser produzidos nos tempos e quantidades desejados pelo país" e declarou que "a indústria militar deu um grande passo em frente para garantir a produção de todos os elementos complementares", diz-se na mensagem.


Líder norte-coreano Kim Jong-un perto do novo míssil balístico intercontinental Hwasong-15
Kim Jong-un e o míssil balístico Hwasong-15 © REUTERS/ KCNA

O míssil balístico intercontinental lançado por Pyongyang é capaz de carregar uma ogiva nuclear pesada de grandes dimensões e pode alcançar o território dos Estados Unidos.

Durante o teste, também foi confirmado que todos os sistemas correspondem às exigências do desenho e são completamente seguros em condições de combate. Em particular, destaca-se a grande precisão no alcance do alvo.

O Pentágono reconheceu que o míssil em questão atingiu uma altitude de 4.475 quilômetros, a maior alcançada pela Coreia do Norte, superando dez vezes a altitude em que se encontra a Estação Espacial Internacional.

Depois do lançamento, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikky Haley, apelou a todos os países para suspenderem quaisquer relações e todos os acordos existentes com a Coreia do Norte.

Por sua vez, o representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebezya, chamou os EUA e a Coreia do Norte para que se abstenham de realizar exercícios de grande escala, o que, para ele, "agrava a situação, que já é explosiva" na península coreana.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas