Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vários mortos no confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez, que está entre os mortos.O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passado
Maolis Castro e Florantonia Singer | El País

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. 

O Governo venezuelano confirmou no início desta tarde que o próprio Pérez está entre os mortos. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.


O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalística…

Damasco: presença dos EUA na Síria sem consentimento do governo é uma 'agressão'

A diplomacia síria comentou as declarações do secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, que afirmou que a presença dos Estados Unidos na Síria foi aprovada pelas Nações Unidas e que o país estaria envolvido na luta contra o grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico).


Sputnik

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Síria, em resposta às declarações do secretário de Defesa norte-americano, qualquer presença estrangeira na Síria sem o consentimento das autoridades do país é uma agressão e uma violação da soberania da Síria. 


Bandeira síria esvoaçando enquanto os carros seguem por ponte durante a hora de ponta, Damasco, Síria
Bandeira da Síria em Damasco, capital do país © AP Photo/ Hassan Ammar

"A Síria mais uma vez declara que a presença de forças americanas ou qualquer outra presença militar na Síria sem o consentimento do governo sírio é uma agressão e uma violação da soberania da Síria, e uma flagrante violação das fundações das Nações Unidas", afirmou a diplomacia síria.

A coalizão liderada pelos Estados Unidos, composta por 70 nações, realiza ataques aéreos, bem como fogo de artilharia terrestre e contra alvos do Daesh no Oriente Médio. Além disso, os ataques no Iraque são conduzidos com o apoio de Bagdá, mas as operações na Síria não são autorizados nem por Damasco nem pelo Conselho de Segurança da ONU.


Postar um comentário