Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China tira mais um 'trunfo' aos EUA criando catapultas eletromagnéticas para porta-aviões

A China desenvolveu sua própria catapulta eletromagnética para os porta-aviões, sendo que anteriormente os EUA eram o único país que usava esse tipo de equipamento. Fazendo isso, o país asiático tem como objetivo melhorar a capacidade de combate dos seus grupos aeronavais.
Sputnik

Engenheiros chineses testaram o protótipo da catapulta eletromagnética de fabricação nacional com aviões de combate J-15, afirmou o contra-almirante chinês Yin Zhuo à edição China Daily. O alto responsável militar especificou que os aviões efetuaram "milhares de decolagens" usando a catapulta.


As catapultas dos porta-aviões são utilizadas para dar um impulso extra à aeronave (o que não é necessário se a aeronave decola do chão), devido à pequena pista de aterrissagem dos porta-aviões. Anteriormente, esse impulso era produzido por vapor.

O dispositivo eletromagnético usa um cabo de aço que liga o avião à catapulta e o faz decolar. De acordo com a mídia, o uso da catapulta foi conseguido devido ao sucess…

Damasco: presença dos EUA na Síria sem consentimento do governo é uma 'agressão'

A diplomacia síria comentou as declarações do secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, que afirmou que a presença dos Estados Unidos na Síria foi aprovada pelas Nações Unidas e que o país estaria envolvido na luta contra o grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico).


Sputnik

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Síria, em resposta às declarações do secretário de Defesa norte-americano, qualquer presença estrangeira na Síria sem o consentimento das autoridades do país é uma agressão e uma violação da soberania da Síria. 


Bandeira síria esvoaçando enquanto os carros seguem por ponte durante a hora de ponta, Damasco, Síria
Bandeira da Síria em Damasco, capital do país © AP Photo/ Hassan Ammar

"A Síria mais uma vez declara que a presença de forças americanas ou qualquer outra presença militar na Síria sem o consentimento do governo sírio é uma agressão e uma violação da soberania da Síria, e uma flagrante violação das fundações das Nações Unidas", afirmou a diplomacia síria.

A coalizão liderada pelos Estados Unidos, composta por 70 nações, realiza ataques aéreos, bem como fogo de artilharia terrestre e contra alvos do Daesh no Oriente Médio. Além disso, os ataques no Iraque são conduzidos com o apoio de Bagdá, mas as operações na Síria não são autorizados nem por Damasco nem pelo Conselho de Segurança da ONU.


Postar um comentário