Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Erdogan rejeita desculpas após seu nome ter sido incluído na 'lista de inimigos' da OTAN

O presidente turco acha que a situação não pode ser resolvida simplesmente com um pedido de desculpas.


Sputnik

O presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan não aceitou as desculpas da OTAN pelo incidente com o "mapa de posições inimigas" que incluía o seu nome, durante as manobras da aliança militar na Noruega, informa o TRT World.


O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, fala a parlamentares durante uma reunião do partido no parlamento em Ancara, 7 de novembro de 2017
O presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan © REUTERS/ Umit Bektas

De acordo com o presidente turco, tal pouca-vergonha não pode ser reparada com "simples desculpas". O que aconteceu mostra "o ponto de vista deformado da OTAN que existe já há algum tempo", afirmou o presidente turco.

No domingo (19) Erdogan declarou que tal comportamento não pode ser "simplesmente desculpado".

"Ontem viram o comportamento ultrajante durante as manobras da OTAN. Não são parvos que cometem determinados erros, são patifes. Isso não pode ser resolvido só com desculpas", afirmou o presidente turco, acrescentando que os ataques verbais à Turquia aumentam por o país estar reforçando seu potencial.

De acordo com ele, se tratou de um ato ultrajante dirigido contra ele próprio e contra o fundador da Turquia o seu primeiro presidente, Ataturk.

Ancara retirou os 40 soldados turcos das manobras da OTAN na Noruega após o incidente. Também na sexta (17) apareceu a informação de que foi iniciado um processo penal contra os funcionários que ofenderam os líderes turcos.


Postar um comentário