Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Estado Islâmico assassinou 2 pessoas em outubro na Síria, menor número desde 2014

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) assassinou duas pessoas no último mês na Síria, o menor número mensal desde a proclamação de um califado em junho de 2014 por parte dos radicais na Síria e no Iraque, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.


EFE

As duas vítimas foram executadas extrajudicialmente pelo EI acusadas de blasfemar e de bruxaria no leste da província síria de Deir ez-Zor, na fronteira com o território iraquiano.


Resultado de imagem para estado islamico siria
Reprodução internet

A ONG destacou que com estes dois chega a 5.102, entre eles 2.870 civis, o número de pessoas mortas pelos extremistas desde o anúncio do califado em 29 de junho de 2014.

A fonte destacou, nesse sentido, que o EI está assistindo ao colapso das suas fileiras e a uma forte perda de território.

O Observatório lembrou que atualmente os jihadistas dominam apenas 3% da superfície da Síria frente à mais da metade do território que chegaram a controlar em 2015.

Os radicais são alvo de uma ofensiva das tropas governamentais nas províncias de Homs e de Deir ez-Zor e de outra das Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada por milícias curdas, na segunda região.

Também há presença do EI em alguns pontos da província central de Hama e nas sulinas de Al Quneitra e Deraa, assim como no campo de refugiados palestinos de Al Yarmouk e em áreas contíguas do sul de Damasco.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas