Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Eurodeputado: OTAN planeja criar 'Shengen militar' que 'aumentará tensões com Rússia'

O anúncio por parte da OTAN, de um acordo para melhorar e facilitar o deslocamento das forças militares entre seus membros é "uma ameaça para a União Europeia" que também pode aumentar as tensões da Aliança Atlântica com a Rússia, acredita o eurodeputado da Esquerda Unida, Javier Couso.


Sputnik

"A OTAN pretende estabelecer uma espécie de Schengen militar na Europa que aumentará as tensões com Rússia", assegurou o deputado, segundo consta o comunicado divulgado pelo seu partido.


Mapa da Europa
Mapa da Europa | CC0 / Pixabay

Couso vê a criação dessa zona de "liberdade de movimentos tanto de tropas como de armamento" como um meio que permitirá a Aliança Atlântica "não ser limitada pelas disposições dos Estados em matéria de transporte militar".

Apesar da recente declaração do secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, da qual as medidas visam "melhorar a mobilidade de forças militares na Europa", Couso considera que a consequência principal desta decisão será o aumento das tensões com Moscou.

Segundo o eurodeputado, a OTAN tem a "nítida vontade" de "dispor das tropas e armas no menor tempo e com o menor número de obstáculos possíveis nas zonas de atrito com a Rússia".

"Se aumentarmos a presença militar, o oponente, neste caso a Rússia, irá responder de igual modo", destacou, avisando que assim, os acordos de controle de armas estratégicas e tácticas estarão em perigo.

Ao mesmo tempo, o deputado expressou seu lamento quanto à "imposição da visão dos EUA, em vez da europeia", que deveria ser "mais sossegada" e "basear-se em apoio da paz e harmonização com um vizinho como a Rússia".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas