Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Kiev confirma ter tomado sob controle 2 povoações na zona neutra de Donbass

Os militares ucranianos confirmaram ter tomado sob seu controle duas povoações na zona neutra de Donbass.


Sputnik

"As Forças Armadas da Ucrânia tomaram sob controle as povoações de Travnevoe e Gladosovo", segundo um comunicado da assessoria de imprensa do exército ucraniano em Donbass publicado no Facebook. As povoações indicadas ficam apenas a 20 quilômetros da cidade de Gorlovka, controlada pela autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD).


Soldados ucranianos sobre o veículo blindado no Leste da Ucrânia
Tropas ucranianas no leste da Ucrânia © AFP 2017/ ALEXANDER KHUDOTEPLY

Na véspera, a mídia ucraniana anunciou que o exército da Ucrânia tomou o controle de duas povoações na zona neutra de Donbass.

As autoridades da república autoproclamada, por sua parte, acusaram Kiev de violar os acordos de Minsk.

Os observadores da OSCE afirmaram que iriam verificar estes dados.

Desde abril de 2014, a Ucrânia tem realizado uma operação contra as milícias no leste de seu território, onde foram proclamadas as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk em resposta à violenta mudança de governo, ocorrida em Kiev em fevereiro do mesmo ano.

Os acordos de Minsk, firmados em setembro de 2014 e em fevereiro de 2015, lançaram as bases para uma solução política do conflito, mas até o momento não puseram fim à violência que já vitimou mais de 10 mil pessoas, segundo estimativas da ONU.


Postar um comentário