Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Kiev confirma ter tomado sob controle 2 povoações na zona neutra de Donbass

Os militares ucranianos confirmaram ter tomado sob seu controle duas povoações na zona neutra de Donbass.


Sputnik

"As Forças Armadas da Ucrânia tomaram sob controle as povoações de Travnevoe e Gladosovo", segundo um comunicado da assessoria de imprensa do exército ucraniano em Donbass publicado no Facebook. As povoações indicadas ficam apenas a 20 quilômetros da cidade de Gorlovka, controlada pela autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD).


Soldados ucranianos sobre o veículo blindado no Leste da Ucrânia
Tropas ucranianas no leste da Ucrânia © AFP 2017/ ALEXANDER KHUDOTEPLY

Na véspera, a mídia ucraniana anunciou que o exército da Ucrânia tomou o controle de duas povoações na zona neutra de Donbass.

As autoridades da república autoproclamada, por sua parte, acusaram Kiev de violar os acordos de Minsk.

Os observadores da OSCE afirmaram que iriam verificar estes dados.

Desde abril de 2014, a Ucrânia tem realizado uma operação contra as milícias no leste de seu território, onde foram proclamadas as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk em resposta à violenta mudança de governo, ocorrida em Kiev em fevereiro do mesmo ano.

Os acordos de Minsk, firmados em setembro de 2014 e em fevereiro de 2015, lançaram as bases para uma solução política do conflito, mas até o momento não puseram fim à violência que já vitimou mais de 10 mil pessoas, segundo estimativas da ONU.


Postar um comentário