Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Mais vivo do que nunca, líder do Daesh usa táxi para fugir do Iraque para a Síria

O líder do grupo terrorista islâmico Daesh, Abu Bakr al Baghdadi, fugiu do Iraque e se dirigiu para a Síria, informou o jornal egípcio Ad-Dustour, com base em fontes ouvidas da inteligência iraquiana.


Sputnik

Para que sua viagem não fosse descoberta pelas forças do governo, o líder do grupo terrorista insistiu em usar um carro discreto e escolheu um táxi amarelo, de acordo com a fonte revelada ao jornal egípcio.


Eader of the Islamic State group, Abu Bakr al-Baghdadi, delivering a sermon at a mosque in Iraq
Abu Bakr al Baghdadi © AP Photo/ Militant video, File

Em meio à incerteza em torno da possível morte de Abu Bakr al Baghdadi, em 28 de setembro, surgiram notícias de que o líder jihadista se dirigiu aos militantes da organização por meio de um vídeo.

Com base sua declaração, a publicação noticiou que está claro que o líder terrorista estava ciente da situação atual nas zonas de conflito armado do Daesh contra as tropas governamentais na Síria e no Iraque.

Em particular, Al Baghdadi mencionou a consulta síria Astana-6, realizada em meados de setembro de 2017.

Em junho, o Ministério da Defesa da Rússia informou que "com grande probabilidade" era certa a morte de Al Baghdadi, após um ataque aéreo russo no dia 28 de maio, perto da cidade síria de Raqqa.

No entanto, esta informação não foi confirmada pelo diretor do Serviço de Inteligência Estrangeira, Sergei Naryshkin. Além disso, o Ministério do Interior do Iraque anunciou que Al Baghdadi estava vivo e se escondeu na Síria.

A morte do líder do Daesh foi anunciada por diferentes fontes em várias ocasiões: em junho e dezembro de 2016, em abril de 2015, e em novembro de 2014.

Em janeiro de 2017, foi relatado que Al Baghdadi havia sido ferido em um ataque aéreo e estava em estado crítico. Em outubro de 2016, foi dito que o líder do Daesh foi envenenado.

Contudo, nenhuma dessas informações se mostraram verdadeiras.


Postar um comentário