Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Pentágono: ONU permitiu aos EUA combater na Síria

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, considera que a ONU permitiu aos EUA combater no território sírio porque a organização adotou diversas resoluções contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).


Sputnik

"A ONU declarou que, em princípio, podemos perseguir os terroristas. Estamos ali para eliminá-los", disse ele, respondendo à pergunta sobre a base jurídica da presença militar dos EUA na Síria.


Sede do Pentágono em Washington, EUA
Sede do Pentágono, Washington, EUA © AFP 2017/ STAFF

"Entretanto, isso não significa que simplesmente saiamos e ali surja de novo um Daesh 2.0, e finjamos que estamos surpreendidos. Precisamos de avançar [nas negociações] em Genebra sob a égide da ONU", sublinhou ele.

O Conselho de Segurança da ONU não autorizou a intervenção militar dos EUA na Síria.

As autoridades sírias qualificam a presença militar norte-americana no território do seu país como ilegal, porque é realizada sem a permissão do governo do país. A Rússia, por sua vez, realiza ataques aéreos contra posições terroristas na Síria a pedido de Damasco.


Postar um comentário