Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Pentágono planeja equipar seus caças com laser potente

A empresa tecnológica militar norte-americana Lockheed Martin, anunciou que firmou o novo contrato com o Laboratório de Pesquisas da Força Aérea dos Estados Unidos para desenvolver um laser de alta potência para seus aviões de combate.


Sputnik

O contrato no valor de 26,3 milhões de dólares (R$ 86 milhões), prevê que o laser fará parte das armas dos caças norte-americanos a partir de 2021. O projeto será realizado no âmbito do programa militar norte-americano de desenvolvimento de armas laser defensivas para seus caças, conhecido como SHiELD.


Caça norte-americano da quinta geração F-35
F-35 Lightning II dos EUA © AP Photo/ Ross D. Franklin

Os planos dos EUA de desenvolver um laser potente que possa ser equipado em um caça, não são novos. No início de 2017, o Pentágono anunciou que realizou com êxito as provas finais da inovadora arma laser. Essa arma foi o resultado de mais um contrato com Lockheed Martin. Entretanto, aquele laser alcançou apenas 60 kW de potência. Agora, o objetivo é fazê-lo mais potente e compacto.

"Conseguir criar um laser tão pequeno que coubesse em uma caça, é uma tarefa completamente nova […] O desenvolvimento de laser de alta intensidade […] mostra que a tecnologia que torna possível a criação desse tipo de arma laser, é uma realidade", disse Rob Afzal da Lockheed Martin.

No entanto, os EUA não é o único país que está desenvolvendo esse tipo de arma. A Rússia está testando as armas laser desde 2009, intensificando consideravelmente o processo a partir de 2017, e não apenas para os aviões.

No outono de 2016, a China também equipou um caminhão militar convencional com um canhão laser de 30 kW, suficiente para destruir aviões e helicópteros.


Postar um comentário