Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Pentágono qualifica interceptação de avião dos EUA por um Su-30 russo como 'insegura'

Um caça russo Su-30 interceptou em forma "insegura" um avião norte-americano P-8A Poseidon no sábado passado (25) quando o P-8A estava voando sobre o mar Negro, informou o Pentágono.


Sputnik

"O avião norte-americano estava operando no espaço aéreo internacional e não fez nada para provocar este comportamento russo", disse em 28 de novembro ao canal de televisão CNN a porta-voz do Pentágono, Michelle Baldanza.


Caça Sukhoi Su-30SM
Sukhoi Su-30SM © Sputnik/ Vladimir Astapkovich

Segundo ela, o Su-30 russo passou em frente do avião dos EUA da direita para a esquerda ativando seus pós-combustores (que permitem um aumento rápido de potência).

A manobra foi considerada uma "interação insegura" porque fez com que o P-8 enfrentasse "uma inclinação de 15 graus e violenta turbulência".

O Su-30 aproximou-se do avião norte-americano a uma distância de apenas 15,2 metros, afirmou a porta-voz.

Trata-se da primeira aproximação perigosa entre um avião norte-americano e uma aeronave russa em meses. A Rússia ainda não comentou essa afirmação.


Postar um comentário