Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Rússia se recusa a aumentar sanções contra Coreia do Norte

A Rússia avisou nesta quinta-feira que se recusa a aumentar as sanções contra a Coreia do Norte como resposta ao pedido dos Estados Unidos para que a comunidade internacional corte relações com Pyongyang pelos testes armamentistas realizados pelo país asiático.


EFE

"Nossa atitude frente a isto (apelo dos EUA) é negativa. Em mais de uma ocasião enfatizamos que a pressão por meio de sanções é uma via praticamente esgotada", disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em Minsk, capital da Bielorrússia.



"Nossa atitude frente a isto (apelo dos EUA) é negativa. Em mais de uma ocasião enfatizamos que a pressão por meio de sanções é uma via praticamente esgotada", disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em Minsk, capital da Bielorrússia. EFE/ Yuri Kochetkov
"Nossa atitude frente a isto (apelo dos EUA) é negativa. Em mais de uma ocasião enfatizamos que a pressão por meio de sanções é uma via praticamente esgotada", disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em Minsk, capital da Bielorrússia. EFE/ Yuri Kochetkov

Lavrov acrescentou que as resoluções da ONU com sanções contra a Coreia do Norte contêm a reivindicação para retomar o processo de negociação, uma "exigência que a parte americana ignora".

"Considero que é um grande erro", completou o chanceler russo.

Segundo Lavrov, as últimas ações dos Estados Unidos "parecem tentar conscientemente provocar Pyongyang para que dê passos bruscos".

"Dá a impressão de que se faz tudo para que Kim Jong-un (líder norte-coreano) perca a calma e se lance em uma nova aventura", comentou o chefe da diplomacia russa.

Lavrov salientou ainda que os Estados Unidos devem explicar qual é seu objetivo na crise coreana.

"Se o que buscam é um pretexto para destruir a Coreia do Norte, como declarou a representante dos EUA no Conselho de Segurança da ONU, que o digam abertamente e que o ratifique o governo americano. Então decidiremos como reagir", sentenciou.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas