Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Silenciosos e mortais: Rússia desenvolve torpedos que não deixam rastros na água

A Rússia começa a desenvolver mini torpedos com não mais de 40 quilos, que serão silenciosos e não deixarão sulcos na água, disse nesta quinta-feira o projetista desse tipo de arma, o acadêmico Shamil Aliyev.


Sputnik

"A tendência atual é substituir torpedos grandes, que pesam duas toneladas, pelos mais leves, de 35 a 40 quilos", disse Aliyev em entrevista à Sputnik.


Torpedo
Torpedo © Foto: pixabay

Segundo ele, é um "conceito qualitativamente diferente".

Quando solicitado a explicar o conceito ao qual ele se referiu, Aliyev respondeu que se referia ao tamanho do torpedo.

"Mas o mais importante é que eles ficarão em silêncio e não deixarão sulcos na água", revelou o projetista do torpedo.

A Rússia possui um novo programa para o desenvolvimento de novas armas, ao invés de atualizar armamentos já em uso, e que deve render novidades ao país até 2025.


Postar um comentário