Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Silenciosos e mortais: Rússia desenvolve torpedos que não deixam rastros na água

A Rússia começa a desenvolver mini torpedos com não mais de 40 quilos, que serão silenciosos e não deixarão sulcos na água, disse nesta quinta-feira o projetista desse tipo de arma, o acadêmico Shamil Aliyev.


Sputnik

"A tendência atual é substituir torpedos grandes, que pesam duas toneladas, pelos mais leves, de 35 a 40 quilos", disse Aliyev em entrevista à Sputnik.


Torpedo
Torpedo © Foto: pixabay

Segundo ele, é um "conceito qualitativamente diferente".

Quando solicitado a explicar o conceito ao qual ele se referiu, Aliyev respondeu que se referia ao tamanho do torpedo.

"Mas o mais importante é que eles ficarão em silêncio e não deixarão sulcos na água", revelou o projetista do torpedo.

A Rússia possui um novo programa para o desenvolvimento de novas armas, ao invés de atualizar armamentos já em uso, e que deve render novidades ao país até 2025.


Postar um comentário