Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vários mortos no confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez, que está entre os mortos.O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passado
Maolis Castro e Florantonia Singer | El País

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. 

O Governo venezuelano confirmou no início desta tarde que o próprio Pérez está entre os mortos. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.


O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalística…

Trump: 'A Ásia não pode viver sob a ameaça da ditadura da Coreia do Norte'

O presidente estadunidense, Donald Trump, declarou que Ásia não pode viver sob a ameaça da "ditadura" da Coreia do Norte.


Sputnik

Em seu discurso na XXV Cúpula da APEC realizada na cidade de Danang (Vietnã) o mandatário estadunidense afirmou que a "Ásia não pode viver sob a ameaça da ditadura da Coreia do Norte", informa a agência AFP.


O presidente dos EUA, Donald Trump, durante seu discurso na XXV Cúpula da APEC realizada na cidade de Danang (Vietnã) em 10 de novembro de 2017
Donald Trump, presidente dos EUA © AP Photo/ Mark Schiefelbein

Na véspera, durante seu périplo de 12 dias pela Ásia, o presidente dos EUA apelou a toda a comunidade internacional, inclusivamente à Rússia, para que ajude a resolver a crise coreana.

Os termos utilizados por Donald Trump, durante sua viagem pela região Ásia-Pacífico, em relação à forma de resolver a situação na península da Coreia têm variado conforme o país que visita.

Assim, no Japão o presidente dos EUA assegurou que "o tempo da paciência estratégica acabou". O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, por sua vez, expressou concordância com as declarações de Trump ao anunciar que Tóquio e Washington estão prontas para usar a força contra Pyongyang. Não obstante, no Japão a retórica do líder norte-americano já foi mais moderada.

Na visita de Donald Trump à China, falou com seu homólogo Xi Jinping só sobre medidas econômicas para pressionar a Coreia do Norte.

Durante a sua viagem asiática de 12 dias, Trump já discutiu a crise coreana com os líderes da Coreia do Sul, Japão e China. A maioria destes países acordou continuar exercendo pressão sobre Pyongyang devido ao desenvolvimento do seu programa nuclear e de mísseis.


Postar um comentário