Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

União Africana alerta para o perigo de um golpe de Estado no Zimbábue

Os relatórios da imprensa local sugeriram uma tentativa de golpe no Zimbábue, na sequência do anúncio pelo partido no poder de que o país estava vivendo numa "transição sem sangue" do poder entre o líder de longa data, Robert Mugabe, que tinha sido relatado como fortemente protegido pelos militares e se preparando para anunciar demissão.


Sputnik

A União Africana afirmou que a crise no Zimbábue "parece um golpe" e pediu o respeito da Constituição do país.


Soldados patrulham as ruas de Harare, no Zimbábue, 15 de novembro, 2017
Militares patrulham as ruas de Harare, capital do Zimbábue© AP Photo/

De acordo com o líder da União Africana, Alpha Conde, que também é presidente da Guiné, a organização classificou as ações dos militares no Zimbábue como "claramente soldados tentando assumir o poder pela força".

A declaração vem na sequência de um anúncio do partido no poder no Zimbábue de que o país estaria vivendo uma "transição sem sangue" de poder. Robert Mugabe, de 93 anos, teria sido capturado pelos militares e se prepara para anunciar o seu renúncia.

De acordo com a imprensa local, Mugabe, que foi presidente do país desde 1987, conseguiu chegar a um acordo com os representantes do exército para que sua esposa deixe o país.

O presidente da vizinha África do Sul, Jacob Zuma, afirmou ter sido contactado por Mugabe, que afirmou estar "confinado à sua casa, mas que passava bem".

Nesta terça-feira, a imprensa relatou que veículos blindados estavam se movendo em direção à capital do Zimbábue, enquanto os militares supostamente tomaram controle da transmissão da televisão estatal ZBC.

A crise acontece na sequência das tensões após a demissão do provável sucessor de Mugabe, que tinha forte apoio dos militares. O comandante do Exército tinha apelado ao Mugabe na segunda-feira para que parar a "limpeza" no partido no poder.


Postar um comentário