Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Alto funcionário: EUA não aceitarão Coreia do Norte nuclear e vão conter a Rússia

EUA não podem arriscar e permitir que a Coreia do Norte se torne uma potência nuclear, comunicou à CBS News o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Herbert Raymond McMaster.


Sputnik

McMaster acrescentou também que os EUA vão continuar contendo o "comportamento desestabilizador" da Rússia, mas isso não exclui a cooperação entre os 2 países.


Comandante do Exército dos EUA na Europa general Ben Hodges (arquivo)
Comandante do US Army na Europa, general Ben Hodges © AFP 2017/ ED JONES

O alto funcionário dos EUA comunicou à CBS News que agora os EUA estão influenciando ao máximo a Coreia do Norte para convencer o regime de Kim Jong-un que a sua intenção de receber as armas nucleares e o míssil balístico intercontinental de longo alcance é um impasse. Tudo isso representa uma grande ameaça para todo o mundo, afirmou ele, acrescentando que é o "regime que não pode receber tais armas devastadoras".

"Não acho que podemos aceitar tal risco. O mundo não pode aceitar tal ameaça […] Olhem para o comportamento deste regime, é hostil com todo o mundo", afirmou McMaster à CBS News.

Quanto à Rússia, McMaster afirmou que o presidente norte-americano, Donald Trump, esclareceu através do seu programa de segurança nacional que pretende proteger o seu país de qualquer inimigo. Ele sublinhou que o presidente pede que seja elaborado um conceito especial dos EUA em relação à Rússia.

O objetivo do novo conceito é conter o comportamento desestabilizador da Rússia na Europa, no Oriente Médio e nos "próprios EUA, onde eles tentam inimizar os grupos dentro da comunidade democrática dirigindo-os uns contra os outros". McMaster afirmou que "vamos conter este comportamento desestabilizador".

Entretanto ele informou que o presidente Donald Trump pediu para garantir que não haja conflito qualquer com a Rússia e que sejam encontradas áreas de cooperação. De acordo com ele, os EUA e a Rússia devem cooperar resolvendo a questão com a Coreia do Norte, e que a "Coreia do Norte, que possui armas nucleares, não deve ser do interesse da Rússia".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas