Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Alto funcionário: EUA não aceitarão Coreia do Norte nuclear e vão conter a Rússia

EUA não podem arriscar e permitir que a Coreia do Norte se torne uma potência nuclear, comunicou à CBS News o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Herbert Raymond McMaster.


Sputnik

McMaster acrescentou também que os EUA vão continuar contendo o "comportamento desestabilizador" da Rússia, mas isso não exclui a cooperação entre os 2 países.


Comandante do Exército dos EUA na Europa general Ben Hodges (arquivo)
Comandante do US Army na Europa, general Ben Hodges © AFP 2017/ ED JONES

O alto funcionário dos EUA comunicou à CBS News que agora os EUA estão influenciando ao máximo a Coreia do Norte para convencer o regime de Kim Jong-un que a sua intenção de receber as armas nucleares e o míssil balístico intercontinental de longo alcance é um impasse. Tudo isso representa uma grande ameaça para todo o mundo, afirmou ele, acrescentando que é o "regime que não pode receber tais armas devastadoras".

"Não acho que podemos aceitar tal risco. O mundo não pode aceitar tal ameaça […] Olhem para o comportamento deste regime, é hostil com todo o mundo", afirmou McMaster à CBS News.

Quanto à Rússia, McMaster afirmou que o presidente norte-americano, Donald Trump, esclareceu através do seu programa de segurança nacional que pretende proteger o seu país de qualquer inimigo. Ele sublinhou que o presidente pede que seja elaborado um conceito especial dos EUA em relação à Rússia.

O objetivo do novo conceito é conter o comportamento desestabilizador da Rússia na Europa, no Oriente Médio e nos "próprios EUA, onde eles tentam inimizar os grupos dentro da comunidade democrática dirigindo-os uns contra os outros". McMaster afirmou que "vamos conter este comportamento desestabilizador".

Entretanto ele informou que o presidente Donald Trump pediu para garantir que não haja conflito qualquer com a Rússia e que sejam encontradas áreas de cooperação. De acordo com ele, os EUA e a Rússia devem cooperar resolvendo a questão com a Coreia do Norte, e que a "Coreia do Norte, que possui armas nucleares, não deve ser do interesse da Rússia".


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas