Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

Ataque aéreo contra campo de prisioneiros deixa 39 mortos no Iêmen

Bombardeio foi realizado por coalizão saudita sobre a capital, Sanaa, controlada pelos rebeldes houthis.


France Presse


Ao menos 39 pessoas morreram e 90 ficaram feridas no bombardeio aéreo contra uma campo de prisioneiros dos rebeldes houthis em Sanaa, capital do Iêmen, segundo autoridades não identificadas ouvidas por agências de notícias.

Militante houthi caminha em frente a campo de prisioneiros bombardeado em Sanaa, no Iêmen (Foto: Khaled Abdullah/Reuters)
Militante houthi caminha em frente a campo de prisioneiros bombardeado em Sanaa, no Iêmen (Foto: Khaled Abdullah/Reuters)

O bombardeio foi executado por aviões da coalizão árabe internacional liderada pela Arábia Saudita.

Os ataques tinham como alvo um campo administrado pela polícia militar, vinculado aos rebeldes, que abrigava cerca de 180 detentos. Uma autoridade afirmou à Reuters que 35 corpos já foram retirados dos escombros.

Escalada do conflito

Os confrontos no Iêmen, que está em guerra civil, se intensificaram nas últimas semanas e resultaram na morte do ex-presidente do país, Ali Abdullah Saleh, no último dia 4.

Saleh foi morto pelos houthis, seus antigos aliados, após o ex-presidente romper com os rebeldes - que controlam a capital desde 2015 - e admitir conversas com a coalizão saudita.

Desde a intervenção saudita, que apoia o atual presidente, Abdrabbuh Mansur Hadi, mais de 8.000 pessoas foram mortas em combates, incluindo milhares de civis, segundo a ONU. Os bombardeios aéreos apoiados por Riad são alvo de críticas de diversas organizações internacionais.

O conflito, somado a um bloqueio imposto pelos sauditas, tem causado uma das maiores emergências humanitárias do mundo, incluindo um surto de cólera que pode ter matado 2.000 pessoas desde abril.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas