Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Ataque insurgente contra tropas paquistanesas deixa 8 mortos

Pelo menos oito pessoas, três soldados e cinco supostos insurgentes, morreram nesta sexta-feira em um ataque proveniente do território afegão contra tropas paquistanesas que construíam um posto fronteiriço militar perto da fronteira com o Afeganistão.


EFE

"Terroristas abriram fogo contra tropas da Frontier Corps (força fronteiriça) que construíam um novo posto militar em Shunkrai, perto da fronteira afegã-paquistanesa", informou o escritório de comunicação do exército em comunicado.


Resultado de imagem para posto fronteiriço militar perto da fronteira com o Afeganistão
Forças militares do Afeganistão na fronteira entre o país e o Paquistão |  EFE/Watan Yar

Três membros da Frontier Corps foram abatidos no ataque, enquanto cinco insurgentes morreram e vários outros ficaram feridos, segundo os militares paquistaneses.

O exército afirmou que o Paquistão "paga o preço" da falta de capacidade das forças afegãs para controlar seu território.

Em novembro, dois soldados e oito supostos terroristas morreram em um ataque similar contra um posto de controle militar perto da fronteira afegã, afirmou então o Paquistão.

Islamabad e Cabul se acusam mutuamente de permitir a presença nos seus territórios de grupos terroristas que atacam o país vizinho, o que provoca tensões entre ambas nações.

O Paquistão lançou uma operação nas áreas tribais em junho de 2014 na qual morreram 3.500 supostos terroristas, segundo dados do exército não verificados de forma independente, o que ajudou a reduzir a violência de forma considerável.

Em fevereiro deste ano começou uma nova operação antiterrorista após uma série de atentados e em meados de julho foi a vez de uma ofensiva em áreas fronteiriças com o Afeganistão contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

A violência se reduziu no país com 1.803 mortos por terrorismo em 2016 - 612 deles civis, 293 membros das forças de segurança e 898 supostos terroristas -, o número mais baixo em uma década, segundo o Portal de Terrorismo do Sul da Ásia, que analisa a violência na região.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas