Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Ataque insurgente contra tropas paquistanesas deixa 8 mortos

Pelo menos oito pessoas, três soldados e cinco supostos insurgentes, morreram nesta sexta-feira em um ataque proveniente do território afegão contra tropas paquistanesas que construíam um posto fronteiriço militar perto da fronteira com o Afeganistão.


EFE

"Terroristas abriram fogo contra tropas da Frontier Corps (força fronteiriça) que construíam um novo posto militar em Shunkrai, perto da fronteira afegã-paquistanesa", informou o escritório de comunicação do exército em comunicado.


Resultado de imagem para posto fronteiriço militar perto da fronteira com o Afeganistão
Forças militares do Afeganistão na fronteira entre o país e o Paquistão |  EFE/Watan Yar

Três membros da Frontier Corps foram abatidos no ataque, enquanto cinco insurgentes morreram e vários outros ficaram feridos, segundo os militares paquistaneses.

O exército afirmou que o Paquistão "paga o preço" da falta de capacidade das forças afegãs para controlar seu território.

Em novembro, dois soldados e oito supostos terroristas morreram em um ataque similar contra um posto de controle militar perto da fronteira afegã, afirmou então o Paquistão.

Islamabad e Cabul se acusam mutuamente de permitir a presença nos seus territórios de grupos terroristas que atacam o país vizinho, o que provoca tensões entre ambas nações.

O Paquistão lançou uma operação nas áreas tribais em junho de 2014 na qual morreram 3.500 supostos terroristas, segundo dados do exército não verificados de forma independente, o que ajudou a reduzir a violência de forma considerável.

Em fevereiro deste ano começou uma nova operação antiterrorista após uma série de atentados e em meados de julho foi a vez de uma ofensiva em áreas fronteiriças com o Afeganistão contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

A violência se reduziu no país com 1.803 mortos por terrorismo em 2016 - 612 deles civis, 293 membros das forças de segurança e 898 supostos terroristas -, o número mais baixo em uma década, segundo o Portal de Terrorismo do Sul da Ásia, que analisa a violência na região.


Postar um comentário