Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Atentado no Afeganistão mata pelo menos 40 pessoas

Explosões ocorreram em Cabul, atingindo centro cultural xiita que abrigava evento em lembrança do aniversário de 38 anos da invasão soviética ao país. Grupo terrorista “Estado Islâmico” assumiu responsabilidade.


Deutsch Welle

Pelo menos 40 pessoas morreram e cerca mais de 55 ficaram feridas nesta quinta-feira (28/12) em várias explosões contra um centro cultural xiita em Cabul. O prédio é sede de um centro cultural xiita onde ocorria um evento no momento das detonações. O grupo islamista “Estado Islâmico” (EI) assumiu responsabilidade pelo atentado.


Policial afegão em área de explosões em Cabul
Policial afegão em área de explosões em Cabul

"O alvo do ataque foi o centro cultural Tabayan. Uma cerimônia estava sendo realizada por ocasião do 38º aniversário da invasão soviética do Afeganistão, quando ocorreu uma (primeira) explosão", informou o porta-voz adjunto do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi. Muitas das vítimas eram estudantes, que no momento participavam de um debate.

Além do centro cultural, que inclui uma mesquita, o prédio abriga escritórios da agência de notícias afegã Sada-e-Afghan (voz afegã), inicialmente também considerada como possível alvo do ataque.

Segundo as autoridades, a primeira explosão foi causada por um homem-bomba dentro do edifício. Quando as pessoas corriam para resgatar os afetados, ocorreram pelo menos duas outras detonações do lado de fora do prédio.

A capital afegã tem sido alvo este ano de graves atentados. No final de maio, Cabul registrou o pior atentado no país desde 2001, quando um caminhão carregado de explosivos fez 150 mortos e mais de 300 feridos.

Desde o final da missão de combate da Otan, em janeiro de 2015, Cabul tem perdido terreno para os rebeldes, controlando atualmente apenas 57% do país.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas