Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Bomba mata 17 pessoas em funeral no Afeganistão

Explosivo foi escondido em uma moto, que estava estacionada perto de onde ocorria o enterro de um político local, no leste do país. Talibãs negaram responsabilidade pelo atentado.


Deutsch Welle

Pelo menos 17 pessoas morreram e 14 ficaram feridas neste domingo (13/12) pela explosão de uma bomba durante o funeral de um político local na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão.


Soldados afegãos inspecionam local do atentado
Soldados afegãos inspecionam local do atentado

A carga explosiva foi colocada em uma motocicleta estacionada perto de onde uma multidão assistia ao funeral, por volta das 14h15 (horário local), no distrito de Behsud, segundo o porta-voz do governador provincial, Attaullah Khogyanai.

A cerimônia funerária era do ex-governador do distrito de Haska Mena, também em Nangarhar, Gul Wali.

Um porta-voz dos talibãs negou que o grupo seja responsável pelo atentado.

Na quinta-feira passada, um atentado suicida em Cabul contra um centro cultural da minoria muçulmana xiita, reivindicado pelo grupo jihadista "Estado Islâmico” (EI), deixou 42 mortos e 84 feridos.

Desde o final da missão de combate da Otan, em janeiro de 2015, o governo Cabul foi perdendo terreno para os talibãs, controlando atualmente pouco mais da metade do país.


Postar um comentário