Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Câmara dos EUA aprova medida que limita ajuda a palestinos devido a 'pagamentos dos mártires'

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos votou na terça-feira a favor de uma redução significativa da ajuda anual de 300 milhões de dólares à Autoridade Palestina a menos que esta adote medidas para parar o que parlamentares descreveram como pagamentos que recompensam crimes violentos.


Por Patricia Zengerle | Reuters

WASHINGTON - A Câmara realizou uma votação oral da Lei Force Taylor, batizada em homenagem a um veterano militar norte-americano de 29 anos morto a facadas por um palestino durante uma visita a Israel no ano passado.


Resultado de imagem para capitolio eua
Capitólio, em Washington, EUA | Reprodução

A medida almeja impedir que os palestinos paguem estipêndios conhecidos como “pagamentos dos mártires” a familiares de militantes mortos ou presos pelas autoridades israelenses, cujos valores podem chegar a 3.500 dólares por mês.

“Este sistema ‘pague para matar’ perverso usa uma escala descendente. Quanto maior a pena de prisão, maior a recompensa. Os maiores pagamentos vão àqueles que cumprem prisão perpétua -- àqueles que se mostram mais brutais”, disse o deputado republicano Ed Royce, presidente do Comitê de Assuntos Exteriores da Câmara, antes da votação.

O assassino de Force foi morto pela polícia israelense, e sua família recebe o pagamento mensal.

Para se tornar lei, a medida também tem que ser aprovada pelo Senado e ser sancionada pelo presidente Donald Trump. Uma legislação semelhante foi aprovada por dois comitês do Senado, mas não se informou de imediato quando o Senado pode votar o projeto.

Sua aprovação refletiu um forte sentimento pró-Israel em Washington. Também na terça-feira, Trump disse a líderes árabes e israelenses que pretende transferir a embaixada dos EUA em Israel para Jerusalém.


Postar um comentário