Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Netanyahu: Irã está criando exército contra Israel

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, acusou Israel de violar o direito internacional e avisou Tel Aviv sobre as consequências caso o país continue seguindo a mesma linha anti-Irã. Em resposta, o primeiro-ministro israelense respondeu que a Guarda Revolucionária Iraniana pretende destruir o seu país.
Sputnik

Falando durante a sessão do Estado-Maior General das Forças de Defesa Israelenses (IDF, sigla em inglês), o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, criticou as recentes declarações de Teerã em relação a Tel Aviv.


"Hoje ouvi o que disse o chanceler iraniano, acusando Israel de violar direito internacional. Trata-se do ministro do Exterior de um país que envia drones militares contra Israel e mísseis contra a Arábia Saudita. Também ouvi palavras moderadas, e há um abismo enorme entre as palavras e as ações da Guarda Revolucionária [Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica] que está construindo um exército contra Israel com o objetivo declarado…

Chancelaria: Turquia não vê mais governo sírio como ameaça

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia revelou a postura do país quanto ao governo sírio à luz da última derrota do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) e da tomada de controle na maior parte do território pelas forças governamentais da Síria.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, ressaltou que seu país está disposto a coordenar com a Rússia uma operação contra curdos sírios caso seja necessário.


Ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu
Ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu © AFP 2017/ ADEM ALTAN

"No momento, o regime sírio não representa ameaça para nós. Houve um caso quando elas [forças governamentais] derrubaram nosso avião, mas a situação mudou. Hoje em dia somente o Partido de União Democrática (PYD) e Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) representam ameaça. Caso decidamos executar uma operação, preliminarmente vamos concordá-la com nossos aliados, com a Rússia", afirmou Mevlut Cavusoglu durante um programa do canal NTV.

O ministro explicou que a Turquia não é contra a participação de curdos nas negociações de paz na Síria, adicionando que entregou à Rússia uma lista de grupos curdos com quem Ancara está disposta a colaborar.

Anteriormente, Ancara se expressou contra a participação do Congresso do Diálogo Nacional da Síria do partido curdo PYD e YPG (Unidades de Proteção Popular), considerados pela Turquia como organizações terroristas, relacionadas ao PKK.

"Há vários grupos curdos na Síria. Mantemos contato com eles. Não somos contra curdos, ao contrário, apoiamo-los. Mas não se trata de terroristas. […] Além do YPG, há vários grupos curdos, e já entregamos esta lista [à Rússia]. O Irã também é contra o YPG, já que para o ele o YPG e PKK são a mesma coisa. Mesmo que a Rússia não apoie nossa postura completamente, pelo menos a respeita", explicou o ministro turco.

As declarações turcas sucedem informações de que os EUA teriam mudado de posição em relação ao governo do presidente sírio, Bashar Assad.


Postar um comentário