Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Chancelaria: Turquia não vê mais governo sírio como ameaça

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia revelou a postura do país quanto ao governo sírio à luz da última derrota do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) e da tomada de controle na maior parte do território pelas forças governamentais da Síria.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, ressaltou que seu país está disposto a coordenar com a Rússia uma operação contra curdos sírios caso seja necessário.


Ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu
Ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu © AFP 2017/ ADEM ALTAN

"No momento, o regime sírio não representa ameaça para nós. Houve um caso quando elas [forças governamentais] derrubaram nosso avião, mas a situação mudou. Hoje em dia somente o Partido de União Democrática (PYD) e Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) representam ameaça. Caso decidamos executar uma operação, preliminarmente vamos concordá-la com nossos aliados, com a Rússia", afirmou Mevlut Cavusoglu durante um programa do canal NTV.

O ministro explicou que a Turquia não é contra a participação de curdos nas negociações de paz na Síria, adicionando que entregou à Rússia uma lista de grupos curdos com quem Ancara está disposta a colaborar.

Anteriormente, Ancara se expressou contra a participação do Congresso do Diálogo Nacional da Síria do partido curdo PYD e YPG (Unidades de Proteção Popular), considerados pela Turquia como organizações terroristas, relacionadas ao PKK.

"Há vários grupos curdos na Síria. Mantemos contato com eles. Não somos contra curdos, ao contrário, apoiamo-los. Mas não se trata de terroristas. […] Além do YPG, há vários grupos curdos, e já entregamos esta lista [à Rússia]. O Irã também é contra o YPG, já que para o ele o YPG e PKK são a mesma coisa. Mesmo que a Rússia não apoie nossa postura completamente, pelo menos a respeita", explicou o ministro turco.

As declarações turcas sucedem informações de que os EUA teriam mudado de posição em relação ao governo do presidente sírio, Bashar Assad.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas