Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

China adverte Japão contra uso de F-35B em porta-helicópteros

A China instou o Japão a aderir ao caminho do desenvolvimento pacífico e a agir com prudência em questões de segurança, disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China nesta terça-feira.



Poder Aéreo

BEIJING, 26 de dezembro (Xinhua) – A mídia informou que o Japão está considerando modificar o porta-helicópteros Izumo para que caças F-35B possam decolar e pousar nele.


Imagem relacionada
Porta-helicópteros japonês  Izumo | Reprodução

Respondendo a isso, a porta-voz do ministério, Hua Chunying, disse que os movimentos do Japão em segurança militar sempre chamam a atenção de seus vizinhos e da comunidade internacional em geral por motivos históricos.

As ações do Japão podem violar o artigo 9 da sua constituição pacifista, que fornece uma garantia legal para a adesão do Japão ao caminho do desenvolvimento pacífico na era do pós-guerra, disse Hua.

“Exortamos o Japão a fazer mais para ajudar a aumentar a confiança mútua e promover a paz e a estabilidade regional”, disse ela.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas