Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

'É uma loucura': especialista sobre o plano de ataque dos EUA à Coreia do Norte

De acordo com a mídia, os EUA teriam desenvolvido o plano de ataque à Coreia do Norte. O especialista em ciências políticas, Boris Mezhuev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, assinalou que as consequências da realização de tal plano são completamente imprevisíveis.


Sputnik

A mídia comunicou que a Casa Branca teria iniciado a elaboração de um cenário militar, receando que os métodos diplomáticos possam falhar. Segundo os EUA, o ataque contra a Coreia do Norte vai demonstrar ao líder norte-coreano, Kim Jong-un, que Washington encara seriamente a questão do programa nuclear e de mísseis de Pyongyang.


Lançamento do sistema de míssil Hyunmoo II durante manobras conjuntas da Coreia do Sul e dos EUA em local desconhecido, julho de 2017
Lançamento do sistema de mísseis Hyunmoo II da Coreia do Sul © AP Photo/ Ministério da Defesa da Coreia do Sul

No fim de novembro, a Coreia do Norte anunciou que seu novo míssil é capaz de atacar qualquer ponto do território dos EUA.

O especialista em ciências políticas, Boris Mezhuev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, qualificou os planos dos EUA como loucos.

"Acredito que o conflito seja real. Mas assumo que haja estratégias de suavização. Uma delas é essa: a Coreia do Norte é avisada que, caso ela não utilize arma nuclear contra territórios da Coreia do Sul ou contra Guam, ou seja, não ultrapasse limites racionais, então, a resposta pode ser limitada somente aos ataques a objetos militares, sem atingir uma grande quantidade de civis. […] Mas, é tudo muito instável. Caso o conflito venha à tona, muito facilmente ele pode se tornar em um conflito nuclear com consequências imprevisíveis. […] É tudo uma loucura, sem dúvidas. Pois, se os EUA não tivessem provocado e tivessem se recusado a realizar manobras conjuntas com a Coreia do Sul, então, provavelmente, nada disso teria acontecido", assinalou Boris Mezhuev.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas