Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Erdogan engrossa contestação à decisão de Trump sobre Jerusalém

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, se juntou ao coro de críticas ao seu homólogo norte-americano, Donald Trump, por este reconhecer Jerusalém como capital de Israel.


Sputnik

"É impossível entender o que [Donald] Trump quis dizer com esta decisão [sobre Jerusalém], o que ele conseguiu fazer agora é incendiar toda a região", disse ele. O presidente turco sublinhou que "Jerusalém é um lugar sagrado para muçulmanos, judeus e cristãos".


Resultado de imagem para recep tayyip erdogan
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan | Reprodução

"Os líderes devem estabelecer a paz e não desencadear conflitos", acrescentou ele.

Erdogan lembrou que "os EUA espezinharam as resoluções da ONU sobre Jerusalém de 1980, que até agora nunca foram violadas". Segundo o presidente da Turquia, ele prossegue conversações telefônicas sobre este assunto com os líderes dos países muçulmanos, ocidentais e o Papa Francisco.

"Falarei sobre isso com o presidente [russo Vladimir] Putin e é um tema que diz respeito a todos, não apenas aos muçulmanos", concluiu ele.

Vários países da África, América, Ásia e Europa, bem como diferentes organizações internacionais, já criticaram a decisão do governo norte-americano.

Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou que reconhece Jerusalém como capital de Israel. Trump assinou um documento autorizando a transferência da Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.


Postar um comentário