Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Erdogan propõe reconhecimento de Jerusalém como capital da Palestina

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, chamou Israel de Estado de "ocupação e terror" durante discurso de abertura da Cúpula da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) em Istambul nesta quarta-feira (13).


Sputnik

"Israel é um país de ocupação e terror. O governo israelense tortura pessoas desarmadas", disse o presidente mostrando a foto de um adolescente palestino com olhos fechados, cercado por militares de Israel.


O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, fala a parlamentares durante uma reunião do partido no parlamento em Ancara, 7 de novembro de 2017
Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan © REUTERS/ Umit Bektas

Ele propôs também reconhecer Jerusalém como capital da Palestina.

"Destruindo as normas internacionais, os EUA reconheceram Jerusalém como a capital de Israel. Basta dar alguns passos na cidade para perceber que Jerusalém se encontra ocupada. Israel é um Estado terrorista. Os terroristas-militares jogam crianças em prisões. Estou apelando para reconhecer Jerusalém como capital do Estado ocupado da Palestina", declarou Erdogan.

O presidente turco agradeceu aos países que se expressaram contra decisão de Trump.

"Creio que os 196 países-membros da ONU apresentarão sua posição certa. Os EUA podem ser uma potência nuclear forte. Mas não lhes pertence todo o mundo", acrescentou o líder turco.

Da Cúpula da OCI participam os representantes de 48 países, entre eles 16 são apresentados pelos líderes dos Estados. A cúpula será concluída com a publicação da declaração final sobre a resposta à decisão dos EUA sobre Jerusalém.

Dmitry Peskov, porta-voz do presidente da Rússia, declarou, por sua vez, que a posição do Kremlin não coincide com a da Turquia.

"Conhecemos essa posição, mas ela não coincide com a nossa", declarou Peskov, comentando a declaração de Erdogan.

No dia 6 de dezembro, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que seu país reconhece a cidade de Jerusalém como capital de Israel.

Em 1980, Israel declarou Jerusalém sua capital "única e indivisível", incluindo a parte oriental da cidade, ocupada em 1967 depois do fim da Guerra dos Seis Dias. Os palestinos, por sua vez, consideram Jerusalém Oriental como a capital de seu país.

O status da cidade se tornou um dos problemas centrais do conflito palestino-israelense, que deveria ser resolvido juntamente com os palestinos. Por isso, todas as embaixadas estrangeiras em Israel se encontram em Tel Aviv.

O líder norte-americano, porém, já autorizou a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para Jerusalém. A declaração provocou e continua provocando enormes protestos entre os palestinos.


Postar um comentário