Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Guerra entre EUA e Coreia do Norte em 2018 é um cenário real?

Após as eleições de 2016, o presidente dos EUA Barack Obama avisou o presidente eleito Donald Trump que a Coreia do Norte iria ser o maior desafio para a política externa dele.


Sputnik

O aviso virou presciente. Apesar do fato de Trump, como presidente, ser muito mais aberto a negociações diretas com a Coreia do Norte do que os outros políticos, ele está trocando ameaças e afrontas pessoais com Kim Jong-un em um nível sem precedentes, afirmou o analista Curt Mills no seu artigo para o The National Interest.


Militares norte-coreanos são vistos dentro de um veículo militar durante os festejos para comemorar os 105 anos de nascimento de Kim Jong-il
Militares norte-coreanos em blindado © Sputnik/ Ilia Pitalev

As discussões em Washington, no Congresso e nos departamentos de Defesa e de Estado, especulam que o ano de 2018 pode ser marcado por uma guerra com a Coreia do Norte ou por um ataque tático dos EUA. Todos os indicadores mostram que Trump não aceitará a Coreia do Norte como potência nuclear.

Alguns se mostram céticos com a possibilidade de uma guerra com a Coreia do Norte em 2018.

"A solução militar não existe, esqueçam", comunicou o ex-chefe da Casa Branca Steve Bannon ao jornalista Robert Kuttner, coeditor do The American Prospect. O próprio Kuttner também é cético sobre o assunto.

Entretanto, de acordo com o autor do artigo, existe um relatório informal das fontes dos departamentos de Estado e de Defesa que não são tão otimistas.

De acordo com um consultor anônimo citado pelo o autor, existe a possibilidade de 40% de uma atividade militar dos EUA em 2018.

O analista militar e diretor de pesquisas no domínio da defesa no Centro do The National Interest, Harry Kazianis, opina que existe uma grande causa para preocupações.

"Diria que a possibilidade de haver uma guerra entre os EUA e seus aliados e a Coreia do Norte é um pouco inferior a 50%", afirmou Harry Kazianis, acrescentando que o risco cresce a cada dia.

De acordo com o autor, um ex-responsável oficial do Departamento de Estado anunciou uma percentagem mais elevada para uma guerra em 2018 – 55%.

A publicação aponta também, citando ex-funcionários do Departamento de Estado, que a última decisão do Comitê Olímpico Internacional de banir a Rússia das Olimpíadas na Coreia do Sul pode compelir Moscou a apoiar a Coreia do Norte.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas