Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

Israel e Palestina: confrontos deixam mais de 100 feridos

Mais de cem pessoas foram feridas durante os confrontos entre soldados de Israel e da Palestina nesta quinta-feira (14). 


Notícias ao Minuto

Os conflitos armados teriam ocorridos durante protestos em regiões da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, como forma de contestar a polêmica declaração do presidente Donald Trump, que na quarta-feira (13) reconheceu Jerusalém como capital de Israel.


Israel e Palestina: confrontos deixam mais de 100 feridos: Conflitos teriam ocorrido durante protestos contra a polêmica declaração do presidente Donald Trump, que reconheceu Jerusalém como capital de Israel
Conflitos teriam ocorrido durante protestos contra a polêmica declaração do presidente Donald Trump, que reconheceu Jerusalém como capital de Israel © Reuters

Segundo informações do jornal O Globo, o grupo Hamas foi o responsável por convocar os palestinos a uma nova insurreição contra Israel. Nas manifestações que ocuparam as ruas das cidades de Tul Karm e Qalqilyah, na Cisjordânia, houve pelo menos 14 manifestantes palestinos feridos por inalação de gás e mais dois por tiros de borracha. Outros dois teriam se ferido na Faixa de Gaza nos protestos contra Trump, conta o jornal com base em relatos da imprensa israelense.

Os protestos também foram registrados em Ramallah e Nablus, onde teriam sido queimadas imagens do presidente americano e da bandeira dos Estados Unidos. Para conter a reação inflamada do mundo árabe às declarações de Donald Trump, o Exército de Israel já anunciou o envio de batalhões extra ao território palestina da Cisjordânia. Há ainda a indicação de atuação de outros setores de forças de segurança israelenses caso surjam novos desdobramentos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas