Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Israel inicia exercícios militares entre Faixa de Gaza e Jordânia

Nesse domingo (24) começa um treinamento militar que se estenderá até quinta-feira (28) na região centro e sul de Israel, entre os dois territórios palestinos, comunicaram as Forças de Defesa de Israel (IDF).


Sputnik

Os exercícios serão realizados na região de Qiryat Gat, 30 quilômetros a oeste da cidade jordaniana de Hebrom, e na base militar de Tze'elim, 20 quilômetros a leste da Faixa de Gaza, próximo do deserto de Neguev.


Tanques israelenses perto da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza quando retornam do enclave costeiro palestino controlado pelo Hamas em 5 de agosto de 2014
Tanques israelenses na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza © AFP 2017/ THOMAS COEX

As manobras foram planejadas com antecedência e implicarão um aumento da presença militar nessas áreas, disse o porta-voz das IDF, citado pela agência Israel National News.

As manobras se realizam após os EUA terem reconhecido Jerusalém como capital de Israel, decisão que desencadeou a condenação por parte da comunidade internacional.

Logo depois desse anúncio pelo presidente dos EUA Donald Trump, que envolve a transferência da embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, teve lugar uma série de ataques com mísseis por parte das forças israelenses e do movimento palestino Hamas, em meio a uma nova escalada da violência na região.


Postar um comentário