Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Israel lança bombas na Faixa de Gaza; há feridos

Bombardeio é feito em resposta a foguete lançado mais cedo, diz Defesa de Israel. 25 pessoas ficaram feridas, de acordo com o Ministério de Saúde palestino.


Por G1

Israel lançou bombas contra alvos militantes na Faixa de Gaza nesta sexta-feira (8) e pelo menos 25 pessoas ficaram feridas, incluindo 6 crianças, segundo informou o Ministério de Saúde palestino.

Homem carrega criança ferida por bombardeio israelense contra a Faixa de Gaza nesta sexta-feira (8) (Foto: Mohammed Salem/ Reuters)
Homem carrega criança ferida por bombardeio israelense contra a Faixa de Gaza nesta sexta-feira (8) (Foto: Mohammed Salem/ Reuters)

O ógão divulgou também que um segundo palestino morreu nesta sexta pelos confrontos com israelenses.

A Defesa de Israel disse que realizou bombardeios aéreos em um campo de treinamento de militantes e em um depósito de armas do Hamas, em resposta aos foguetes que foram disparados mais cedo de Gaza contra cidades israelenses. Um dos foguetes foi interceptado pelo sistema de defesa de mísseis e o outro caiu na cidade de Sderot, causando danos a veículos, mas sem deixar feridos.

Testemunhas ouvidas pela agência Reuters disseram que a maioria dos feridos pelos bombardeios em Gaza são moradores de um prédio perto do campo de treinamento.

Confrontos entre palestinos e israelenses ocorridos mais cedo deixaram dois palestinos mortos. Chamada de Dia da Raiva, esta sexta marca o início dos três dias de protestos convocados pelo Hamas, movimento islâmico com atuação política e um braço armado, em protesto contra a decisão do governo Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir a embaixada americana de Tel Aviv para lá. Manifestações ocorreram em diversos países, além de nos territórios palestinos.

O reconhecimento da cidade como capital é considerado polêmico, uma vez que os palestinos querem Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado, e a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense sobre a cidade como um todo.

O anúncio de Trump foi criticado por líderes internacionais e foi tema de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU nesta sexta.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas